Fundador jornalista Jerffeson de Miranda em 10 de janeiro de 2018

Cidadão Repórter

(93)91472925
Santarém(PA), Quarta-Feira, 20 de Janeiro de 2021 - 00:13
13/01/2021 as 07:26 | Por Redação | 174
Se a mente sente, o corpo fala
Psicólogo explica o poder da mente sobre o corpo e a importância de manter a saúde mental equilibrada
Fotografo: Reprodução
Fabrício Vieira diz que mais pessoas são diagnosticadas com algum tipo de transtorno ou doença mental"

A pandemia causada pelo novo coronavírus trouxe ao debate um tema que antes era pouco discutido, a saúde mental.
No mês de janeiro, saúde mental é o tema da campanha nacional conhecida como “janeiro branco”, que busca chamar a atenção das pessoas para cuidar da saúde da mente, tão importante quanto a saúde do corpo. Janeiro foi escolhido justamente por ser o primeiro mês do ano, onde as pessoas estão mais focadas em resoluções e metas.
O psicólogo do Hapvida, Fabrício Vieira, revela que cada vez mais pessoas têm sido diagnosticadas com algum tipo de transtorno ou doença mental. “A saúde mental é um tema de extrema importância e cada vez mais relevante, principalmente nos dias em que vivemos. A saúde mental afeta o funcionamento do nosso corpo. Se a mente não está bem, a saúde física é comprometida. A saúde mental afeta o sistema imunológico, as defesas do nosso organismo, do sistema endócrino, dificultando na produção de alguns hormônios, afeta o sistema nervoso, na produção de toxinas que são importantes para evitar o desenvolvimento de síndromes, como o mal de Alzheimer, ou seja, a saúde da mente é responsável pelo nosso corpo, se ela não vai bem, o nosso corpo sente”.
Mas o que fazer para contribuir e manter a saúde mental em dia?
“Hábitos simples do dia-a-dia ajudam a manter a saúde mental, como a prática de atividades físicas; sono adequado; boa alimentação; contato com a natureza; interação social; leitura; alimentar a espiritualidade, conservar pensamentos positivos”, pontua Fabrício, que acrescenta a importância de dar vazão aos sentimentos e emoções, “conversar com familiares e amigos pode aliviar problemas emocionais, todos nós devemos exercitar a fala e também a escuta, muitas vezes as pessoas só querem sentir que tem alguém para ouvi-las, e se ao ouvir perceber ”.
O especialista ainda ressalta a importância das redes sociais para manter e criar laços, “a pandemia mudou o cenário de interações, o virtual tornou-se ainda mais necessário para manter e criar novos laços, gerando aproximação entre as pessoas. É claro que deve haver moderação quanto ao que se consome no on-line, equilíbrio é o que devemos sempre buscar”, finaliza.
Fonte: Portal Santarém e Erika Santos




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil