Fundador jornalista Jerffeson de Miranda
Aos 10 de janeiro de 2018

Cidadão Repórter

(93)91472925

Santarém(PA), Sábado, 09 de Dezembro de 2023 - 06:25
16/09/2022 as 13:52 | Por Redação |
Exportações de madeira despontam na balança comercial paraense
Os Estados Unidos ainda se mantêm como o principal destino da produção de madeira paraense
Fotografo: Reprodução
Em novo boletim, a Aimex registra os números do período de janeiro a agosto de 2022

As exportações paraenses de madeira se mantêm fora da curva decrescente pelo Estado. No acumulado de janeiro a agosto deste ano, o comércio internacional do produto registrou alta de cerca de 97% no valor (US$ 273,9 milhões) e 19,5% na quantidade (189 mil toneladas) exportada. 

 

De acordo com representantes do setor produtivo, um dos motivos por trás desse crescimento foi a alta do dólar no período, somada ao desabastecimento de produtos de madeira no mercado mundial, o que fez com que os preços desses itens subissem. “Não à toa, observamos um grande crescimento no valor, de quase 100%, mas um aumento não tão grande assim na quantidade exportada, de menos de 20%”, explica o consultor técnico da Associação das Indústrias Exportadoras de Madeira do Estado do Pará (Aimex), Guilherme Carvalho. O preço médio do produto girou em torno de US$ 1,5 mil/tonelada. 

 

Outro fator que ajuda a explicar esse crescimento é o escoamento de cargas represadas desde o ano passado, como explica o diretor técnico da Aimex, Deryck Martins: “em 2021, além da pandemia de Covid-19, também enfrentamos um grande problema com a estrutura dos órgãos ambientais, sobretudo no Pará, que acabaram não conseguindo acompanhar o ritmo da produção, para a emissão das documentações necessárias. Com isso, muitas cargas que já estavam prontas para embarque, acabaram represadas e estão sendo vendidas somente agora”, explica. 

 

No entanto, apesar do robusto crescimento no período, os analistas alertam para o resultado de agosto, que se apresentou como o pior desde janeiro, com US$ 20 milhões movimentados e uma produção de 14 mil toneladas. “As oscilações da moeda norte-americana, além da instabilidade do mercado mundial, decorrente das medidas de combate à inflação, além do rígido controle da Covid pelo governo chinês e a guerra entre Rússia e Ucrânia acabaram impactando as exportações paraenses nesse último mês. Agora, precisamos continuar observando para saber como se comportarão nos próximos meses”, observa Guilherme Carvalho. 

 

Principais destinos 

O balanço também aponta os principais destinos da madeira paraense. Os Estados Unidos ainda se mantêm como o principal destino da produção de madeira paraense. Outros países como França, Holanda, Dinamarca e Bélgica formam a sequência de principais países que importam madeiras do Pará. 

 

“Os produtos mais exportados são pisos e dekings, utilizado na construção civil (novas moradias e reformas), madeira serrada também utilizada na construção civil e movelaria, e o MDF usado na movelaria e produção de portas.  É importante destacar que nesse comparativo entre os meses analisados nesse balanço, já foi possível observar uma queda no percentual, tanto em valor em dólar quanto na quantidade. Esse comportamento reforça a instabilidade do mercado mundial”, conclui Guilherme.  

 

O balanço das exportações de madeira é uma produção da Aimex. O relatório é uma elaboração realizada mensalmente, com base em dados do Ministério da Indústria, Comércio e Serviços (MDIC), como forma de possibilitar uma visão especializada das atividades envolvendo produtos e subprodutos de madeira. 

 

Por: Assessoria de Imprensa 

Fonte: Portal Santarém 

 




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil