Fundador jornalista Jerffeson de Miranda em 10 de janeiro de 2018

Cidadão Repórter

(93)91472925
Santarém(PA), Domingo, 07 de Agosto de 2022 - 16:55
27/06/2022 as 08:33 | Por Redação |
OAB do Pará e Sociedade Paraense de Infectologia realizam Seminário sobre Varíola Monkeypox
Seminário com o tema “Os Riscos e Prevenção da Varíola Monkeypox” será realizado nesta segunda-feira (27)
Fotografo: Reprodução
Advogada santarena, Dra. Gyanny Dantas (Presidente da Comissão de Saúde da OAB-PARÁ), participará da Mesa de Debates

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) Seção do Pará em parceria com a Sociedade Paraense de Infectologia realizam, nesta segunda-feira, 27, o seminário denominado "Os Riscos e Prevenção da Varíola Monkeypox". 

 

O seminário inicia as 19h, no Auditório da OAB-PARÁ, na Praça Barão do Rio Branco, 93, bairro da Campina - próximo à Igreja da Trindade, em Belém.  

 

Durante o evento acontecerá Mesa de Debates, que vai contar com a participação (de forma online) da advogada santarena Dra. Gyanny Dantas (Presidente da Comissão de Saúde da OAB-PARÁ) e que também faz parte da diretoria da OAB-Subseção de Santarém; e da advogada Dra. Irna Carneiro (Presidente da Sociedade Paraense de Infectologia). 

 

Já a palestra intitulada "Varíola Monkeypox - Origem, Aspectos Clínicos e Conduta", será ministrada pelo Dr. Alessandre Beltrão (SPI); enquanto que o tema "Estratégias de Vigilância Epidemiológica e Prevenção da Monkeypox", será abordado por representantes da SESMA e SESPA. 

 

De acordo com a coordenação, o evento vai ser gratuito e as inscrições serão feitas no local. 

Nenhuma descrição disponível.

 

CASOS INVESTIGADOS NO BRASIL  

Dados do Ministério da Saúde apontam que dos oito casos confirmados no país até o momento, quatro foram em São Paulo, dois no Rio Grande do Sul e dois no Rio de Janeiro. Há, ainda, seis casos em investigação. 

 

O sétimo caso foi confirmado na sexta-feira, 17, no Rio de Grande do Sul. As cinco pessoas que tiveram contato com o homem diagnosticado com varíola dos macacos no Rio de Janeiro não apresentaram sintomas até o sábado. 

 

No sábado, 18, a Organização Mundial da Saúde (OMS) informou que deixaria de tratar de forma diferenciada os casos em países onde a doença é considerada endêmica, ou seja, com circulação o ano inteiro, e os demais países. 

 

A varíola do macaco era considerada endêmica em países da África Central e da África Ocidental, mas nos últimos meses houve relatos da doença em diversos outros países não endêmicos, especialmente na Europa, que já responde por 84% dos casos notificados, segundo a OMS. 

 

Entre os dias 1º de janeiro e 15 de junho deste ano, a OMS foi notificada sobre 2.103 casos confirmados da varíola do macaco, em 42 países, assim como um caso provável e uma morte. 

 

Fonte: Portal Santarém 

 




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil