Fotografo: Reprodução
...
Em Santarém, PF encontrou 72 barras de ouro, avaliadas em R$ 14,8 milhões, dentro de um cofre, na residência

A Polícia Federal deflagrou na sexta-feira, 09, a operação denominada "Ouro Frio" nas cidades de Santarém e Itaituba, oeste do Pará. 
Os agentes cumpriram 8 mandados de busca e apreensão, entre eles, 4 em Santarém e 4 em Itaituba.
Em Santarém, os agentes encontraram 72 barras de ouro, que totalizaram 44,9 quilos, avaliadas em R$ 14,8 milhões, dentro de um cofre, na residência de um dos investigados na operação. Na residência, também foram apreendidos R$ 149 mil e US$ 20 mil, em espécie.
Durante a operação, foram apreendidos quatro aviões, em um hangar no Aeroporto de Santarém. 
Além das apreensões, uma pessoa foi presa suspeita de atuar no esquema ilegal do ouro. 
De acordo com o delegado da Polícia Federal, Érico Marques Mello, oito equipes participaram da operação, onde contaram com o apoio de dois agentes de Altamira e dezesseis de Belém. 
"Todos os agentes da Polícia Federal de Santarém, que são 14, também participaram dessa missão. Verificamos que tem garimpos que além do mercúrio usam também cianeto, que causam danos ambientais significativos. O material apreendido, uma parte está em Santarém e a outra está em Itaituba, mas vamos juntar todo esse material", ressaltou o delegado Érico.
A OPERAÇÃO 
A operação é fruto de inquérito que investiga garimpos clandestinos e o processo de esquentamento de ouro, que visa dar uma aparência de legalidade a ouro extraído de forma irregular.
A PF mobilizou mais de 30 policias, entre Agentes, Escrivães e Delegados, das delegacias de Santarém, Altamira e da Superintendência da PF no Pará em Belém, e cumpriu 08 mandados de Busca e Apreensão e sequestro de bens, nos municípios de Santarém e Itaituba.
O Comando Conjunto Norte (CCN), constituído pelo Comando Militar do Norte (CMN), pelo Comando do 4º Distrito Naval e pela ALA 9, deu apoio logístico no transporte dos policiais que se deslocaram para os municípios de Santarém e Itaituba.
A ação está no contexto da Operação Verde Brasil 2, assim sendo, um conjunto de atividades estruturadas focadas na proteção e preservação da Amazônia e demais biomas e conta com apoio das Forças Armadas (Exército, Marinha e Força Aérea do Brasil).
A Operação estimou o bloqueio de  R$ 14 milhões, que é o valor calculado de bens usurpados da União, além de significativo avanço no combate ao que se aponta como esquentamento de ouro.
Importante destacar também que o garimpo ilegal causa problemas de ordem ambiental, como mostra o laudo pericial produzido pela Polícia Federal em 2018, no âmbito de outra Operação, no qual restou demonstrado que a atividade de mineração ilegal acarreta graves problemas de poluição em rios da Amazônia.
A expressão “Ouro Frio” faz referência a ouro de origem clandestina, sem documentação legal, sendo que no curso da investigação foram descobertas tentativas de “esquentamento” do mineral ilícito.
Por: Manoel Cardoso
Fonte: Portal Santarém