Fundador jornalista Jerffeson de Miranda em 10 de janeiro de 2018

Cidadão Repórter

(93)91472925
Santarém(PA), Terça-Feira, 19 de Outubro de 2021 - 08:16
24/07/2019 as 17:02:11 | Por Prefeitura Santarém | 494
João Fona estende horário de visitas em incentivo ao conhecimento da cultura e história santarena
O Centro conta com 12 salas e milhares de peças que fazem do Centro um importante espaço sobre a história santarena.
Fotografo: Ádrio Denner
Horário estendido termina na sexta-feira (26).

O mês de julho já está terminando e para aproveitar o período de férias que se encerra o Centro Cultural João Fona (CCJF) ampliou o horário para visitação do espaço que abriga um valioso acervo sobre a cultura e história do município. Das 8h às 20h, o Centro estará em funcionamento, até sexta-feira (26). Serão doze horas seguidas, sem intervalo para o almoço, aberto para quem quiser visitar. A entrada é franca. O Centro é administrado pela Prefeitura de Santarém por meio da Secretaria Municipal de Cultura (Semc).
 
De acordo com a chefe de Seção de Atendimento ao Turista do Centro Cultural João Fona, Patrícia Chaves, a iniciativa foi motivada por diversos fatores. "Percebemos que às 18h, quando a temperatura é mais agradável, as pessoas começam a passear pela orla e com o período de férias, este fluxo aumentou. Por isso, aproveitamos o movimento para oportunizar as visitas no Centro. É uma alternativa também para quem encerra o expediente no horário comercial e não tinha oportunidade de visitar o CCJF e agora, com o horário estendido, poderá apreciar os acervos. Recebemos muitos turistas estrangeiros, então neste momento, nosso intuito é incentivar também a população santarena a conhecer a rica história que o CCJF nos conta."
 
Em 2019, o CCJF recebeu em torno de 5.478 visitantes, entre turistas e estrangeiros. O Centro conta com 12 salas, entre elas:
 
Sala de objetos arqueológicos, com peças de muiraquitã, estatuetas, urnas mortuárias, machadinhos;
Gabinete protocolar do prefeito, utilizado para receber grandes autoridades;
Sala de exposição temporária;
Sala de curiosidades, onde está o esqueleto da baleia Minke que encalhou no rio Tapajós;
Sala de leitura Felisbelo Sussuarana.
 
Estão expostas milhares de peças arqueológicas: peixes fossilizados, beijus de mandioca, restos de sambaqui, peças inteiras e fragmentos de cerâmicas de várias culturas e diversas fases, produzidas artisticamente pelas tribos indígenas que habitaram Santarém. Além do material arqueológico, estão expostas também várias peças da cerâmica Tapajó, imagens sacras esculpidas em madeira, jornais, livros e móveis utilizados na antiga Câmara e no Fórum de Justiça, uma coleção de moedas antigas, a galeria dos ex-intendentes e ex-prefeitos e muitas outras peças que fazem do Centro um importante espaço sobre a história santarena.
 
Confira outras notícias
 
Além das visitas guiadas que ocorrem diariamente, o CCJF está também com uma oficina de réplicas de cerâmica tapajônica, das 8h às 14h. Qualquer pessoa pode participar. Está ocorrendo ainda, uma exposição de artesanato abrangendo todos os segmentos como a palha, as sementes, o bambu e outros.
 
O Centro fica localizado na Rua Adriano Pimentel, s/n, bairro da Prainha, nas proximidades da Praça Barão de Santarém.
 
Sobre o Centro Cultural João Fona
Fundado em 1868, o prédio tem 151 anos sendo a edificação mais antiga de Santarém, a primeira é a catedral de Nossa Senhora da Conceição. É uma das rotas turísticas nacionais e internacionais do município.
 
A estrutura já foi sede do Ministério Público de Justiça (Fórum de Justiça), Intendência Municipal (Prefeitura de Santarém), Câmara Municipal e Prisão Pública. A construção seguiu as plantas arquitetônicas do Major Engenheiro Pereira Sales que teve início em 1853, sendo concluído em 1867 e inaugurado em 1868. O estilo do prédio é colonial brasileiro, porém sofreu pequenas alterações em 1926, com o intendente Coronel Joaquim Braga. O prédio já foi totalmente reformado e restaurado, sem perder, no entanto, os traços e características originais.
 
Após observar que o prédio era utilizado exclusivamente para finalidades culturais, dando-se prioridade para as salas museológicas, fixas e transitórias - portanto não possuía características para ser chamado de Museu - a Lei Municipal de nº 13.791 de 27 de agosto de 1991 deu uma nova nomenclatura ao espaço, chamando-o de Centro Cultural João Fona (CCJF).
 




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil