Fotografo: Reprodução
...
Secretária Úrsula Vidal diz que edital está alinhado às características culturais de cada região

A Secretaria de Estado de Cultura (Secult) atua em todo o Pará e desenvolve projetos que valorizam e contribuem para o fortalecimento das expressões culturais e da produção artística das regiões de integração. Dessa forma, oferece programações pautadas na diversidade de gêneros e estilos, bem como ações formativas - como cursos e oficinas - que possibilitam a qualificação de profissionais das áreas da cultura e economia criativa.

Pensando no acesso democrático ao fomento das práticas culturais, o Governo do Pará, por meio da Secult, lançou na semana passada seu 9º edital: ‘o Prêmio Preamar de Cultura Popular’, uma premiação oferecida aos proponentes de projetos culturais que estejam em plena atividade e desenvolvimento há pelo menos um ano.

Incentivando a produção cultural, o prêmio possibilita o acesso democrático à difusão e circulação de programações que poderão ser desenvolvidas no período de dezembro de 2019 a dezembro de 2020, em atividades realizadas e/ou apoiadas pela Secult.

Com valor bruto de R$20.000,00 (vinte mil reais), o edital vai premiar a atuação de até quarenta e sete fazedores e fazedoras de cultura, por reconhecimento à criação, à transmissão e à difusão de práticas culturais referenciadas nos valores da cultura paraense.

Para Úrsula Vidal, Secretária de Estado de Cultura, o edital está em constante diálogo com a sociedade e alinhado às características culturais de cada região.

"Esse edital é fruto de uma ampla escuta feita com diversos setoriais que reforçam a necessidade de ampliarmos o fomento às práticas culturais que não acessam políticas públicas de patrocínio, tampouco editais que exigem certa complexidade na estruturação dos projetos. O Prêmio Premar é simplificado e voltado à pessoas físicas que desenvolvem projetos já reconhecidos de valorização das práticas culturais em diversas linguagens. Nossa meta é premiar experiências que dialogam com características identitárias dos territórios, com a nossa ancestralidade, com a nossa formação multiétnica e com a diversidade de manifestações, tão característica do Pará", afirmou a secretária.

Cumprindo a diretriz de política pública do Governo do Pará, que estabelece como prioritária a descentralização das atividades para o interior do Estado, nas 12 (doze) regiões de integração, e, nos 7 (sete) territórios de vulnerabilidade social, integrantes do programa Territórios pela Paz (TerPaz), no total o edital vai contemplar 14 (quatorze) proponentes nos Territórios pela Paz e 33 (trinta e três) nas Regiões de Integração:

- 2 (dois) projetos para o bairro da Cabanagem (Belém);

- 2 (dois) projetos para o bairro do Bengui (Belém);

- 2 (dois) projetos para o bairro do Guamá (Belém);

- 2 (dois) projetos para o bairro da Terra Firme (Belém);

- 2 (dois) projetos para o bairro do Jurunas (Belém);

- 2 (dois) projetos para o bairro do Icuí (Ananindeua);

- 2 (dois) projetos para o bairro da Nova União (Marituba);

- 3 (três) projetos para a R. I. Araguaia;

- 3 (três) projetos para a R. I. Baixo-Amazonas;

- 3 (três) projetos para a R. I. Guamá;

- 3 (três) projetos para a R. I. Carajás;

- 3 (três) projetos para a R. I. Lago de Tucuruí;

- 3 (três) projetos para a R. I. Marajó;

- 3 (três) projetos para a R. I.  Rio Caeté;

- 3 (três) projetos para a R. I.  Rio Capim;

- 3 (três) projetos para a R. I. Tapajós;

- 3 (três) projetos para a R. I. Xingú;

- 3 (três) projetos para a R. I. Tocantins.

MANIFESTAÇÃO CULTURAL - Entende-se por apresentações, exposições, intervenções, cortejos, performances, nas mais diversas linguagens em que estejam presentes a música, o canto, a contação de histórias, a dança, encenações, festas, literatura, jogos, brincadeiras etc. São expressões oriundas dos conhecimentos, dos costumes e tradições de um povo e, por isso mesmo, os contornos são imprecisos, acolhendo as complexas expressões de saberes, fazeres, práticas e artes produzidas por uma comunidade. Cabem nessa perspectiva, por exemplo, bois bumbás, hip hop, quadrilhas, grupos de carimbó, cordões de bichos, literatura de cordel, lundu, samba de cacete, banguê, coco, tambor de crioula, marujadas, reizados, dentre outros.

Podem se inscrever pessoas físicas, maiores de 18 anos, representativas de manifestações culturais, de grande experiência e conhecimento das práticas culturais, com reconhecimento da comunidade onde vivem e atuam.

INSCRIÇÕES - As inscrições são gratuitas e ocorrerão no período de 10 de outubro a 9 de novembro de 2019,  podendo ser feitas de 3 formas:

Pela internet: através do e-mail premiopreamar@secult.pa.gov.br. O email de encaminhamento da inscrição deve ter o título “PRÊMIO PREAMAR DE CULTURA POPULAR”. Todos os documentos relativos à inscrição deverão ser preenchidos, digitalizados e anexados ao email e os arquivos e anexos enviados não devem exceder o tamanho de 5MB.

Por via postal: caso o candidato prefira realizar a inscrição por via postal, a mesma deverá ser enviada em envelope único, com aviso de recebimento obrigatório (AR) simples.

De forma presencial: a inscrição presencial deve ser feita via protocolo da Secult (Av. Governador Magalhães Barata, 830), no horário de 8 às 16h. Os interessados deverão encaminhar suas propostas, em envelope único.

O resultado final da seleção será publicado na página eletrônica da Secult e Diário Oficial do Estado em novembro de 2019, sendo de total responsabilidade do proponente acompanhar a atualização de informações.

Fonte: Portal Santarém e Secult