Fundador jornalista Jerffeson de Miranda em 10 de janeiro de 2018

Cidadão Repórter

(93)91472925
Santarém(PA), Quarta-Feira, 01 de Dezembro de 2021 - 10:22
16/10/2021 as 09:08 | Por Redação |
Pró-Saúde apresenta Classe Hospitalar do Oncológico Infantil em evento nacional
O evento, realizado de modo remoto, acontece entre os dias 15 e 17 de outubro
Fotografo: Reprodução
A classe hospitalar do Oncológico Infantil desenvolve o potencial humano do pequeno cidadão

Pela primeira vez, o Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, gerenciado pela Pró-Saúde em Belém, apresentará a experiência desenvolvida pela Classe Hospitalar Prof. Roberto França, no 11º Encontro Nacional de Atendimento Escolar Hospitalar e Domiciliar. O evento, realizado de modo remoto, acontece entre os dias 15 e 17 de outubro.  

 

As Classes Hospitalares foram criadas para assegurar às crianças e adolescentes, a continuidade das atividades escolares durante o processo de internação hospitalar, possibilitando um enfrentamento menos traumático e minimizando os prejuízos no retorno às atividades convencionais após a alta.  

 

Quem organiza o evento é o Grupo Interdisciplinar de Educação e Inclusão (GIEI), uma rede de cooperação internacional formada por pesquisadores associados em atividades de acessibilidade e inclusão. O tema do encontro deste ano é “Campo interdisciplinar do atendimento educacional em classe hospitalar e domiciliar: políticas, formação e práticas”. 

 

No dia 17 de outubro, a administradora Alba Muniz, diretora Hospitalar da Pró-Saúde, integrará a Mesa-Redonda VI, que discutirá sobre interdisciplinaridade com o trabalho desenvolvido em brinquedotecas e classe hospitalar.  

 

O case apresentado por Alba será da Classe Hospitalar do Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, referência em oncologia pediátrica no Norte do país. Ela destaca sua expectativa em relação à participação no evento. “Será mais uma excelente oportunidade de compartilhar a experiência do Oncológico Infantil em âmbito nacional, pois, em seis anos, partindo do zero, muito foi feito pelas crianças do Estado do Pará, não só no aspecto de tratamento contra o câncer mas também com ações educativas”, observou.  

 

Alba Muniz, que esteve à frente do Oncológico Infantil no período entre 2015 e 2020, afirma que foram diversas ações desenvolvidas para proporcionar um cuidado com o paciente no sentido amplo. “Ao longo dos seis anos do hospital foram criadas diversas oportunidades para desenvolver o potencial humano do pequeno cidadão assistido na instituição, entre elas o acesso e a manutenção do acompanhamento escolar curricular oficial”, afirmou. 

 

De acordo com a diretora, o projeto da Classe Hospitalar do Oncológico Infantil é um dos que tem destaque no segmento, por possuir uma característica diferenciada, visto que acompanha as necessidades dos usuários. “O tratamento contra o câncer é longo e em boa parte dele a criança ou adolescente não pode frequentar a escola regular. Tem um caráter de excepcionalidade, de personalização, mas de maneira continuada, mantendo o usuário na atividade educacional nas fases amenas e severas do tratamento”, observa Alba Muniz. 

 

O Oncológico Infantil realizou a “customização” curricular para todas as etapas do tratamento, bem como o incentivo à matrícula e manutenção da frequência, as quais são integradas com vários setores do hospital, como Sustentabilidade, Núcleo de Educação, Núcleo de Qualidade e Segurança do Paciente, Humanização, especificamente com as atividades executadas nas brinquedotecas.  

 

“É como se todo o hospital trabalhasse para a cura e para o que vem depois da cura: a vida de um cidadão produtivo, resiliente, confiante, solidário, consciente e responsável”, complementa Alba. 

 

A entidade filantrópica Pró-Saúde, gestora do Hospital Oncológico Infantil, por meio de contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), incentiva e desenvolve parcerias que promovem a educação como parte dos cuidados com as crianças durante a assistência hospitalar. Com a descoberta de um câncer, muitas crianças precisam se afastar da escola no modelo convencional para fazer o tratamento. 

 

A Classe Hospitalar do Oncológico Infantil é mantida desde 2015 em parceria com a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e tem, atualmente, cerca de 22 alunos matriculados em diferentes etapas de ensino. As aulas seguem em formato híbrido, atendendo a seis alunos por turno (manhã e tarde), com outros atendimentos efetuados de maneira remota. 

 

Fonte: Portal Santarém e Ascom/Hospital Oncológico Infantil 

 

 




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil