Fundador jornalista Jerffeson de Miranda em 10 de janeiro de 2018

Cidadão Repórter

(93)91472925
Santarém(PA), Quarta-Feira, 02 de Dezembro de 2020 - 13:07
30/01/2020 as 08:12 | Por Da Redação | 969
Donos de embarcações transformam orla de Santarém em lixão a céu aberto
Quem caminha pela Avenida Tapajós constata crime ambiental
Fotografo: JK
Sacos de lixo são vistos em vários pontos da orla, na área central da cidade

A falta de educação ambiental de donos de embarcações que ancoram na orla, gera críticas de moradores e comerciantes da área central de Santarém.

Quem caminha na Avenida Tapajós constata que por falta de fiscalização dos órgãos ligados ao meio ambiente, proprietários de embarcações acondicionam sacos de lixo no muro de contenção da orla da cidade.

Por conta dos problemas causados pelo descarte indevido de lixo, os moradores pedem providências por parte dos órgãos públicos.

Segundo usuários da orla, as embarcações que atracam entre as imediações da Praça Tiradentes e a Praça da Matriz, são as que mais acondicionam sacos de lixo, na frente de Santarém.

Para os empresários, a situação do descarte de lixo, causa a sensação de abandono. O impacto visual acarreta problemas ao meio ambiente e à saúde da população.

"Lugar de lixo não é no rio e nem na praia. É necessário que todos tenham cuidado com a cidade, e a orla é nosso cartão postal", declarou a empresária Luzia Sousa.

LEGISLAÇÃO AMBIENTAL

De acordo com a Lei Federal de Crimes Ambientais nº 9.605/1998, quem causar poluição de qualquer natureza em níveis que resultem ou possam resultar em danos à saúde humana, ou que provoquem a mortandade de animais ou a destruição significativa da flora receberá pena de reclusão, de um a quatro anos, e multa. Se o crime é culposo, a punição será de seis meses a um ano de detenção e multa. Com informações e foto do JK.

Por: Manoel Cardoso

Fonte: Portal Santarém

 




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil