Fundador jornalista Jerffeson de Miranda em 10 de janeiro de 2018

Cidadão Repórter

(93)91472925
Santarém(PA), Domingo, 07 de Agosto de 2022 - 15:59
28/06/2022 as 12:45 | Por Redação |
Seca: animais também sofrem com baixa umidade
Problemas oftalmológicos são comuns na época da seca, explica especialistas
Fotografo: Reprodução
Nesse período de seca, os casos de problemas respiratórios e oculares em animais também aumentam

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) estabeleceu alerta amarelo de perigo potencial no Distrito Federal, que indica uma queda da umidade relativa do ar. A capital do país passa pela estiagem e entrou oficialmente na estação do Inverno na terça-feira (21). Nesse período, o clima é tipicamente caracterizado pela baixa umidade e madrugadas frias. 

 

Nesse período de seca, os casos de problemas respiratórios e oculares em animais também aumentam. Assim como as pessoas, os pets apresentam sintomas como coceiras nos olhos, boca seca, cansaço, dificuldade para respirar e desidratação. Alguns bichinhos podem ficar ofegantes e sofrer de crise respiratória com ar seco.  

 

O médico veterinário Rogério Lopes, da clínica Amparo, explica que os problemas respiratórios nesse período são os mais comuns. Rogério também destaca que os problemas oftalmológicos também são recorrentes na seca e que é preciso ficar atento aos sinais que o animal apresenta.  

 

“Os principais problemas são respiratórios, como a traqueobronquite canina ou a rinotraqueíte felina. Caso não sejam tratados adequadamente, esses transtornos podem levar a complicações e até a uma pneumonia. Com a baixa umidade, os olhos dos pets podem ficar mais vermelhos, lacrimejantes e com coceira.” 

 

A médica veterinária integrativa Joana Barros, da clínica Gaia, dá algumas orientações de como perceber os sinais que os animais podem apresentar em caso de algum desses problemas. Joana afirma que os cuidados diários devem ser intensificados nessa época do ano para que a saúde do animal permaneça em dia.  

 

“A alimentação é um ponto muito importante, pois é preciso ficar atento para se o o pet está comendo bem e se continua ativo. Toalhas molhadas, bacias com água e umidificadores são recomendados nos espaços de descanso do animal para que ele possa estar sempre refrescado.”  

 

A veterinária explica que passear com o pet é uma atividade essencial para cuidar da saúde e bem-estar do animal, pois é um momento em que ele tem contato com o mundo e consegue explorar todos os seus sentidos, com direito a muitas experiências incríveis. Joana dá algumas dicas de como evitar problemas durante esse momento de lazer.  

 

“Já para os passeios é importante sempre levar recipientes com água e diminuir a quantidade de exercícios, principalmente entre 10h e 16h. Durante esse intervalo, os raios solares normalmente estão mais intensos e o asfalto acaba ficando muito quente, o que pode desencadear queimaduras na pata do cachorro.” 

 

A veterinária afirma que levar o pet para um check-up são alternativas para um bom diagnóstico. Além disso, Joana explica que, para aqueles animais que já possuem algum problema, é preciso um acompanhamento médico veterinário para que as recomendações necessárias caso a caso possam ser feitas para a saúde e bem estar do pet.  

 

“Para os casos de cuidados com os olhos, a limpeza dos deve ser feita com solução fisiológica, passando o algodão delicadamente. é preciso que o tutor fique atento a qualquer sinal de tosse, secreção nasal e ocular e dificuldade respiratória grave. Também é importante manter a vacinação contra a gripe em dia, assim como todas as outras, além do reforço anual. 

 

Por: Jéssica Nascimento 

Fonte: Portal Santarém 

 

 

 




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil