Fundador jornalista Jerffeson de Miranda
Aos 10 de janeiro de 2018

Cidadão Repórter

(93)91472925

Santarém(PA), Sábado, 24 de Fevereiro de 2024 - 23:02
19/10/2023 as 16:13 | Por Redação |
Programas educacionais da MRN vencem etapa regional do Prêmio Aberje 2023
Empresa recebe o reconhecimento na etapa regional (Norte e Nordeste), na categoria Sociedade
Fotografo: Reprodução
Cledinaldo Durão acompanha a evolução do seu filho, Clemerson de Oliveira, de 15 anos, que é bolsista do PAEB

A Mineração Rio do Norte (MRN) foi uma das grandes vencedoras da etapa regional do Prêmio Aberje 2023. A iniciativa reconhece e celebra empresas, instituições, mídias e profissionais que combinam criatividade, recursos e estratégias em comunicação organizacional para gerar melhores resultados para os negócios e impactos positivos para a sociedade. Com o case “PAEB E PAES: Transformando o futuro pela educação há mais de duas décadas”, a empresa conquistou o primeiro lugar na categoria “Sociedade” nas regiões Norte e Nordeste. 

  

Os Programas de Apoio ao Ensino Básico (PAEB) e de Apoio ao Ensino Superior (PAES) são mantidos pela MRN, mineradora de bauxita localizada no distrito de Porto Trombetas, em Oriximiná, no Oeste do Pará. Trata-se de iniciativas educacionais voltadas a comunidades quilombolas dos territórios do Boa Vista e Alto Trombetas II. 

  

O case de sucesso começou com um planejamento estratégico robusto, ainda no início de 2022, com foco em ampliar a visibilidade de seus programas de apoio à educação e dar destaque às histórias inspiradoras das pessoas beneficiadas pelas ações.   

  

O PAEB foi criado no ano de 1997, com o objetivo de desenvolver uma base sólida de educação para jovens da comunidade Boa Vista. Mais tarde, estudantes do território quilombola Alto Trombetas II, no âmbito do acordo Teófilo e Cipó, também passaram a ser beneficiados pela estrutura do programa, que oferece, gratuitamente, educação integral, com material escolar e didático, transporte e alimentação. 

  

Natural da comunidade quilombola Boa Vista, Cledinaldo Durão acompanha a evolução do seu filho, Clemerson de Oliveira, de 15 anos, que é bolsista do PAEB. O operador de máquinas da MRN não esconde a alegria de ver o adolescente seguindo firme e forte nos estudos, graças ao apoio dado pela empresa. “Hoje meu filho é beneficiado pelos programas educacionais e isso, para mim, é uma honra. Na escola ele está muito bem e a nossa expectativa é de que, no ano que vem, ele termine o ensino médio e entre na faculdade. Estou contando com a vitória. Esses programas dão muito apoio para as crianças das comunidades e espero que no futuro tenhamos cada vez mais pessoas formadas graças a essa iniciativa”, declarou. 

  

Em 2000, surgiu o PAES como uma extensão do apoio ofertado na Educação Básica, dando suporte aos estudantes que desejavam ingressar na graduação. Os beneficiados são contemplados com bolsas para cursos superiores, em ensino presencial ou à distância, além de passagem aérea/fluvial anual de férias para visitar a família, pois geralmente os cursos são realizados em outras cidades, como Santarém, Belém e Manaus. 

  

Nascida no quilombo Boa Vista, Sara Quaresma passou pelas iniciativas educacionais de transformação social e hoje, formada em Engenharia Florestal pela Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA), trabalha na MRN. “Eu fui beneficiada pelos dois programas que a empresa apoia e foi muito importante para concluir o meu curso. É um exemplo para que outros quilombolas tenham conhecimento e possam ocupar estes espaços. Eu quero que outras ‘Saras’ também ocupem esses espaços”, comentou a profissional que atualmente trabalha na área de Relações Comunitárias da empresa. 

  

Em 2023, o PAEB tem beneficiado 129 bolsistas. Já o PAES oferta a 52 alunos a possibilidade de acesso ao ensino superior e um novo mundo de oportunidades. “Transformar a vida das pessoas por meio da educação é o mínimo que a MRN pode fazer para ajudar os moradores dos territórios quilombolas a mudarem as suas vidas e de suas famílias. Vamos continuar com esse compromisso social e esperamos inspirar cada vez mais pessoas", ressalta Guido Germani, diretor-presidente da MRN. 

  

A educação como legado 

Em abril de 2022, a MRN começou a divulgar os dois programas e seus impactos positivos em diversas plataformas de comunicação interna e externa. A empresa adotou uma abordagem abrangente para aumentar a visibilidade de seus programas. Usando uma combinação de canais oficiais já estabelecidos para comunicação com empregados, líderes, comunidades, a MRN garantiu que os bons resultados e os depoimentos dos participantes dos programas chegassem a um público diverso. Só a websérie, fruto da campanha realizada ao longo do ano passado, alcançou mais de 82 mil pessoas com os episódios publicados em diversas plataformas. 

  

“Receber o Prêmio Aberje concorrendo com um case de educação para nós é motivo de imenso orgulho. Temos visto centenas de vidas sendo transformadas pelos programas educacionais na região, gente que inclusive ingressou como bolsista no ensino fundamental, depois participou do programa de ensino superior, entrou em uma universidade e conquistou grandes oportunidades no mercado de trabalho. E ver essas histórias de superação sendo contadas pelas próprias pessoas é emocionante! Com certeza o prêmio é delas também”, destaca Fabiana Gomes, analista de Comunicação da MRN, que esteve à frente da campanha de educação desenvolvida pela empresa, no ano passado. 

  

Guido Germani comemorou a conquista do Prêmio Aberje que, segundo ele, não é apenas da empresa, mas de todas as comunidades beneficiadas pelos projetos. "A conquista da MRN no Prêmio Aberje é mais do que um reconhecimento, é uma celebração do compromisso da empresa em transformar vidas por meio da educação. Um dos principais legados que a empresa pode deixar para a população é o conhecimento. É algo que vai seguir com os beneficiados pelos programas pelo resto da vida deles”, afirmou. 

  

O diretor de Sustentabilidade e Jurídico da MRN, Vladimir Moreira, também celebrou a conquista. “Sou um entusiasta das iniciativas educacionais e acompanho de perto o quanto elas têm impulsionado o protagonismo das comunidades quilombolas. Os relatos de pais e avós vendo seus filhos e netos conquistarem espaços em várias áreas é a maior recompensa que podemos ter. Celebramos duplamente essa premiação, por ser um importante reconhecimento de responsabilidade social corporativa e, sobretudo, por sinalizar que estamos na direção certa, pavimentando o caminho dos jovens por meio do conhecimento para que eles tenham oportunidades de um futuro brilhante pela frente”, declarou o executivo. 

  

Após vencer a categoria regional, a MRN fará a apresentação oral e a defesa do trabalho diante da Comissão Julgadora do Prêmio Aberje Brasil, no dia 7 de novembro, em São Paulo. 

  

Serviço 

Para assistir a websérie “Como seguir crescendo juntos com a Educação?”, acesse aqui. 

 
Por: Assessoria de Imprensa 

Fonte: Portal Santarém 

 




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil