Fundador jornalista Jerffeson de Miranda
Aos 10 de janeiro de 2018

Cidadão Repórter

(93)91472925

Santarém(PA), Sábado, 22 de Junho de 2024 - 08:45
04/07/2023 as 17:56 | Por Redação |
Povos indígenas navegam com a primeira canoa solar nos rios do Tumucumaque
Kara significa sonho na língua Achuar
Fotografo: Nacip Mahmud/ Iepé
Fruto de um intercâmbio com a Kara Solar e representantes do povo Achuar, do Equador, a canoa solar já circula em trecho do Rio Paru d’Este

Uma iniciativa intitulada Kara Solar teve início em 2017 junto aos povos Achuar, na Amazônia Equatoriana, possibilitando a gradual substituição do uso de combustíveis fósseis pelo uso da energia solar a partir da instalação de painéis fotovoltaicos na parte superior das canoas usadas pelas famílias Achuar para diversos deslocamentos nos rios caudalosos do seu território. 

Nenhuma descrição disponível.

Sobre o telhado das casas da aldeia Bona (No Parque Tumucumaque) foram instalados os painéis que alimentarão as baterias estacionárias. (Foto Nacip Mahmud/) 

 

Este mesmo sonho começou a ser sonhado pelos povos do Tumucumaque em meio à pandemia de Covid-19, em 2020, quando, em um evento on-line promovido pela Fundação Nia Tero, representantes indígenas das regiões Oeste e Leste do Tumucumaque assistiram à apresentação de Nantu Canelos sobre a iniciativa da Kara Solar no território Achuar. 

 

Para quem depende do transporte aéreo para ter acesso a praticamente tudo que vem de fora, porque vive num território de dificílimo acesso, sem estradas e com rios extremamente encachoeirados, que nascem na fronteira do Brasil com o Suriname e deságuam no Amazonas, imagine não mais depender de combustíveis fósseis para o ir e vir cotidiano entre as aldeias, pelos rios que atravessam o seu território?! 

Nenhuma descrição disponível. 

Do projeto piloto à primeira canoa solar 

 

Em uma parceria entre a Associação dos Povos Indígenas Tiriyó Katxuyana e Txikiyana (APITIKATXI), a Associação dos Povos Indígenas Wayana e Apalai (APIWA) e o Iepé, com apoio da Nia Tero, em 2021 foi elaborado um projeto piloto de implantação de canoas solares no Tumucumaque.  

 

O projeto teve início no ano seguinte, 2022, ao longo do qual inúmeras reuniões de planejamento, formações técnicas online, aquisição dos equipamentos e seleção das comunidades indígenas foram realizadas.  

 

Finalmente em 2023 chegou-se à fase de capacitação e implementação do experimento, com a participação dos integrantes das associações APIWA e APITIKATXI, e dos povos indígenas Wayana, Apalai e Tiriyó da região leste do Parque do Tumucumaque. 

 

A aldeia Bona recebeu a primeira canoa na segunda quinzena de maio, ocasião em que Nantu Canelos, integrantes da Kara Solar e do Iepé realizaram a primeira oficina presencial de capacitação. Os moradores e moradoras dessa aldeia e aldeias vizinhas aprenderam a construir as canoas, manusear os equipamentos e realizar manutenções quando necessário.

Nenhuma descrição disponível. 

- Também foram repassadas orientações técnicas referentes à bateria estacionária que será usada nas canoas. (Foto Ana Vizcarra/ Kara Solar) 

 

“No total, 20 pessoas da aldeia Bona e arredores, sendo oito mulheres, estão aprendendo e fazendo instalações de placas, entendendo sobre o funcionamento das baterias e de todo o sistema fotovoltaico que faz a canoa solar funcionar”, explicou Nacip Mahmud, assessor indigenista do Iepé. 

 

Penehto Apalai é uma das oito mulheres que está participando do projeto. “A gente veio aqui aprender um pouco sobre a Kanawa xixi (canoa solar, em achuar), principalmente nós mulheres. Nós vimos como preparar a bateria, o painel, o barco. Eu estou gostando muito”, assim ela compreende a importância do projeto. 

 

Cada etapa desenvolvida foi pensada na autonomia dos povos quanto a manutenção dos equipamentos. (Foto Ana Vizcarra/ Kara Solar) 

  

Outra experiência compartilhada durante a capacitação é o uso da fibra de vidro para a construção de embarcações e caixas herméticas, que terão a função de proteger os componentes internos que não podem ter contato com a água.  

 

“Estamos trabalhando as experiências vividas em distintos rios, aqui neste território estamos falando sobre as conexões do sistema elétrico dos motores aos participantes, principalmente aos jovens, que são sempre ativos e estão aqui aprendendo”, disse Nantu Canelos, liderança do povo Achuar, que atua como facilitador nas capacitações.  

 

Futuro do projeto da Kanawa Solar no Tumucumaque e agradecimentos 

Uma próxima etapa do projeto Kanawa Solar será desenvolvida junto aos povos Tiriyó, Katxuyana e Tikiyana, que vivem no Tumucumaque Oeste, organizados junto à APITIKATXI. 

Nenhuma descrição disponível. 

A construção da Canoa Solar contou com a participação de lideranças, mulheres e jovens da APIWA e APITIKATXI. (Foto Ana Vizcarra/ Kara Solar) 

 
Agradecimentos 
A equipes a APIWA, APITIKATXI e Iepé agradecem à Nia Tero (em especial ao seu Diretor de Inovação e Infraestrutura, Marc Ballandras), à Kara Solar (em especial ao Nantu Canelos, Oliver Utne, Josue David, Ana Vizcarra, Jacinto Mera e Giles Bowman) e à Easywatt (Rafael Carneiro e Jean Martin) pela dedicação e persistência em transformar este sonho em realidade também no Tumucumaque. 

 

Texto: Iepê  

Fonte: Portal Santarém   

 

 

 




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil