Fundador jornalista Jerffeson de Miranda em 10 de janeiro de 2018

Cidadão Repórter

(93)91472925
Santarém(PA), Quinta-Feira, 26 de Maio de 2022 - 13:31
25/01/2022 as 14:43 | Por Redação |
OAB/Subseção de Santarém nomeará comissão para analisar poluição do rio Tapajós
Objetivo será investigar junto aos órgãos competentes e pesquisadores, as causas da mudança na cor da água
Fotografo: Erik Jennings
Desde o início de janeiro de 2022, circulam imagens aéreas do rio Tapajós, em Alter do Chão, com uma coloração barrenta

Depois da constatação de órgãos ambientais, de que garimpos ilegais estão despejando toneladas de lama e metais pesados no rio Tapajós e, com isso provocando a mudança de coloração das águas, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) Subseção de Santarém revelou que vai acompanhar as investigações dos órgãos competentes.  

 

De acordo com o presidente da OAB/Santarém, Ítalo Melo de Farias, a entidade vai nomear uma comissão provisória, para analisar a questão que envolve a poluição das águas do rio Tapajós. 

 

O objetivo será investigar junto aos órgãos competentes, pesquisadores e comunidades tradicionais as causas da mudança na cor da água.  

 

"Hoje pela manhã, em reunião com demais diretores da Subseção, confirmamos que a entidade vai criar uma comissão provisória para análise e reforço aos estudos e acompanhamento da situação em Alter do Chão", reforçou Ítalo Melo de Farias.  

 

IMPACTO AMBIENTAL E SOCIAL  

Desde o início de janeiro de 2022, circulam em redes sociais, imagens aéreas do rio Tapajós, em Alter do Chão, com uma coloração amarronzada e barrenta, bem diferente do tom cristalino da água pelo qual são conhecidas mundialmente as praias paradisíacas do 'Caribe da Amazônia'. 

 

Ribeirinhos, comerciantes, donos de hotéis, pousadas, restaurantes, entre outros profissionais ligados ao turismo, temem que os impactos ao segmento sejam irreversíveis. 

 

De acordo com análise feita pelo MapBiomas a partir de imagens de satélite de alta resolução, a explosão do garimpo no médio curso do rio paraense é muito provavelmente a causa da mudança da cor. A análise indica que a lama dos garimpos de afluentes do Tapajós – como o Jamanxim, o Crepori e o Cabitutu – está por trás da pluma de sedimentos que tomou o rio neste ano e é visível em todo seu baixo curso até a foz. 

 

INQUÉRITO POLICIAL  

A Polícia Federal abriu inquérito para investigar os motivos da alteração na tonalidade das águas no rio Tapajós, no Pará. A investigação foi instaurada no dia 20 de janeiro último. 

 

A PF enviou peritos para a região, onde realizaram um sobrevoo na última segunda, 24, com duas aeronaves do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Também fizeram parte da comitiva de fiscalização integrantes do Ministério Público Federal. (MPF), técnicos do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) e pesquisadores da Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA). 

 

Por: Manoel Cardoso  

Fonte: Portal Santarém  

 




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil