Fundador jornalista Jerffeson de Miranda em 10 de janeiro de 2018

Cidadão Repórter

(93)91472925
Santarém(PA), Domingo, 07 de Agosto de 2022 - 15:28
28/06/2022 as 17:57 | Por Redação |
Animais silvestres de Juruti passam a ser atendidos por Centro de Reabilitação da Alcoa
O CRAS passou a atender também os animais silvestres encontrados na área urbana do município e na Área de Proteção do Lago Jará
Fotografo: Reprodução
Animais vítimas de maus tratos ou debilitados terão prioridade nos atendimentos

Há dois anos, Juruti conta com um Centro de Reabilitação de Animais Silvestres – CRAS – que cuida de animais encontrados em percursos relacionados à operação da mina da Alcoa. A partir de maio deste ano, o CRAS passou a atender também os animais silvestres encontrados na área urbana do município e na Área de Proteção do Lago Jará. 

  

A mineradora e a Prefeitura de Juruti, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma), assinaram Termo de Parceria expandindo os atendimentos do Centro. A secretaria será responsável pelo processo de triagem e posterior encaminhamento à unidade especializada da Alcoa. 

  

Animais vítimas de maus tratos ou debilitados terão prioridade nos atendimentos. “Ao identificar um animal silvestre nessas condições, a população vai entrar em contato diretamente com a Semma. Após acionada, a secretaria fará todo o processo de triagem e o encaminhará ao CRAS”, explica a supervisora de Biodiversidade da Alcoa Juruti, Susiele Tavares. 

  

O Centro de Reabilitação integra um sistema de gestão e conservação da fauna, que conta com apoio permanente das campanhas de educação ambiental, realizadas entre seus colaboradores e a comunidade local. 

  

Para a secretária de Meio Ambiente, Nayme Lopes, a estrutura disponibilizada pelo CRAS – que vai de ambulatório até centro cirúrgico - é o diferencial para o atendimento aos animais. “Essa parceria está sendo muito importante, porque o município não dispõe de estrutura para cuidar desses tipos de animais, que necessitam de mais cuidado e critério. São animais, muitas vezes, já encontrados debilitados e que precisam de procedimentos específicos, como cirurgias”, argumenta a gestora. 

  

Sobre o CRAS 

Unidade especializada de atendimento a animais silvestres, conta com equipe que atua 24h: oito colaboradores em regime de plantão, com duas pessoas em cada turno: uma médica veterinária e um auxiliar. Sua estrutura é composta por: sala de registro e controle; sala de higienização geral; ambulatório para triagem; centro cirúrgico, para realização de procedimentos de baixa e média complexidade; farmácia; sala de nutrição; sala de necrópsia; sala de esterilização e outros 12 recintos. 

  

Em 2021, o CRAS atendeu a 482 animais: oito anfíbios, 160 aves, 108 mamíferos e 206 répteis. A unidade recebeu apoio diagnóstico, após a aquisição de um aparelho de ultrassonografia veterinário e um aparelho de radiografia digital portáteis, o que aumenta a qualidade no atendimento a fauna que precise de atendimento especializado. 

  

O CRAS mantém parceria com as universidades, com o aproveitamento científico de animais que vem a óbito, dentre elas a Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA), Campus de Belém, e a Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA), em Santarém. Essas universidades recebem esse material para incorporá-los aos acervos dos seus museus de Zoologia para estudos científicos, como: estudos anatômicos, estudos necroscópicos, taxidermias e descrição de espécies. 

 

Com informações da Ascom/Alcoa 

Fonte: Portal Santarém 

 

 

 




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil