Fundador jornalista Jerffeson de Miranda em 10 de janeiro de 2018

Cidadão Repórter

(93)91472925
Santarém(PA), Domingo, 07 de Agosto de 2022 - 16:22
04/08/2022 as 12:32 | Por Redação |
Acessibilidade é marca registrada do Festival CoMA
Além de uma grande agenda de shows, o evento é lembrado pela inclusão social
Fotografo: Reprodução
A 5ª edição do Festival CoMA, que une shows e várias atividades do universo da música, acontece em Brasília de 4 a 7 de agosto

A 5ª edição do Festival CoMA (Convenção de Música e Arte), que une shows e várias atividades do universo da música, acontece em Brasília de 4 a 7 de agosto. Mas o evento é muito mais do que shows e grandes atrações. O CoMA é também sinônimo de inclusão social e está sempre pensando no bem estar das Pessoas com Deficiência (PCDs) e promove várias iniciativas para acessibilidade.  

Com estrutura dedicada para o conforto dos PCDs, ele contempla vagas, mesas na praça de alimentação, cardápios em braile e banheiro reservados e adaptados. Além de espaços exclusivos com visão privilegiada dos espetáculos. O evento conta, ainda, com uma equipe de apoio, com intérprete de libras e também guias para acompanhamento de cegos e cidadãos com mobilidade reduzida.  

  

Para que esse grupo possa aproveitar ainda mais, as pessoas com deficiência e um acompanhante não pagam ingresso para os shows. Além disso, há cadeiras de rodas disponíveis, protetores de ouvidos para autistas, visando o melhor conforto acústico durante os shows, e protetor solar para pessoas com albinismo e lúpus. Na praça de alimentação, os cardápios são todos em braille e contam com opções que atendem intolerantes ao glúten e à lactose.  

  

O festival ainda reserva 7% dos postos de trabalho (em média 70 vagas) para os PCDs que querem fazer parte dos bastidores do evento. O objetivo é promover a contratação e inclusão de pessoas em situação de preconceito, desigualdade e vulnerabilidade social, oferecendo a elas oportunidade e dignidade. 

  

O CoMA é muito mais do que um festival. São momentos e experiências sensoriais compartilhadas que visam a adoção de boas práticas de valorização e inclusão das pessoas, da cultura e economia local, e de redução e compensação dos impactos do evento. 

 

Por: Jéssica Nascimento 

Fonte: Portal Santarém 

 

 




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil