Fundador jornalista Jerffeson de Miranda em 10 de janeiro de 2018

Cidadão Repórter

(93)91472925
Santarém(PA), Segunda-Feira, 27 de Setembro de 2021 - 22:36
14/09/2021 as 08:29 | Por Redação | 282
Prefeitura, Câmara discutem estratégias para combater 'fake news' e a queda da venda do peixe
De acordo com o titular da Semap, Bruno Costa, os boatos alimentam o pânico na população, que deixa de consumir peixes
Fotografo: Reprodução
Comercialização do pescado caiu drasticamente em Santarém após a disseminação de Fake News sobre casos da Doença de Haff

A venda de peixes nas feiras e mercados de Santarém, caiu consideravelmente, conforme relatos de pescadores e piscicultores na manhã de segunda-feira (13) em uma reunião no Centro Municipal de Informação e Educação Ambiental (Ciam). Segundo a categoria, a redução na venda ocorreu devido à propagação de Fake News em redes sociais, a respeito da Doença de Haff, popularmente conhecida como ‘Doença da Urina Preta’, o que gerou pânico na população. 

Devido à grande repercussão e dúvidas acerca da situação, a Prefeitura de Santarém, por meio da Secretaria de Agricultura e Pesca (Semap), reuniu com a Câmara de Vereadores, Colônia de Pescadores Z-20, Movimento dos Pescadores e Pescadoras do Baixo Amazonas (Mopebam) e demais órgãos do setor pesqueiro. O objetivo foi buscar estratégias para combater a crise que afeta o setor pesqueiro. 

De acordo com o titular da Semap, Bruno Costa, os boatos alimentam o pânico na população, que deixa de consumir peixes e com isso causa impacto na renda dos trabalhadores que têm a pesca como fonte de renda. 

“Enquanto município estamos bastante preocupados com essa situação, haja vista que impacta qualquer comércio ligado à classe. Nós defendemos que o consumo do pescado continue a acontecer e os órgãos de saúde sigam fiscalizando e orientando a população, afinal, são apenas três espécies que estão proibidas para comercialização oriundas do Amazonas: Tambaqui, pirapitinga e pacu. Queremos tranquilizar a população e dizer que até o momento não há nenhum caso confirmado em Santarém”, argumentou. 

O presidente da Câmara de Santarém, Ronan Liberal Júnior também esteve presente na reunião. Na oportunidade, solidarizou-se com a classe e argumentou que já manteve contato com o Centro Regional de Governo para buscar alternativas a fim de driblar a crise que já afeta a classe. 

“Queremos nos sensibilizar com os pescadores, piscicultores e até os empresários com a atual situação. E dizer também que estamos articulando junto ao Governo do Estado e Federal um possível apoio, principalmente aos pescadores. Isso nos preocupa muito, tendo em vista que a vocação e costume da região são para a comercialização e consumo do pescado”, destacou. 

José Ednaldo, presidente da Mopebam relata que a hipótese de casos positivos em Santarém e a propagação de fake news provocaram uma redução de quase 100% nas vendas de pescado, principalmente nas feiras e mercados. 

“É uma tristeza ver os nossos associados e pescadores terem seus peixes estocados em decorrência dessa situação. Estamos reunidos hoje junto com o governo municipal e Câmara no intuito de debater e encontrar uma política pública que possa nos beneficiar. Uma dessas é a antecipação do seguro desemprego ou até mesmo a liberação de um auxílio para os pescadores’, contou. 

Além do presidente da Câmara de Santarém, Ronan Liberal Júnior, secretário da Semap Bruno Costa e presidente da Mopebam José Ednaldo estiveram presentes ainda: vereadores Jandeilson Pereira, Alexandre Maduro, Josafá Gonçalves, Alba Leal, além do presidente da Z-20 João Mário e pescadores. 

Por: Luan Rodrigues 

Fonte: Portal Santarém 

 

  

 




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil