Fotografo: Reprodução
...
Segundo a PF, RS é a terra natal do ex-secretário adjunto de saúde do Pará, Peter Cassol

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta terça-feira, 23, a Operação Matinta Perera e deu cumprimento a sete mandados de busca e apreensão criminal expedidos pelo Ministro do Superior Tribunal de Justiça, Francisco Falcão.  "Matinta Perera" é a segunda fase da Operação "Para Bellum", que fez buscas e apreensões na sede do Governo do Pará, na casa do governador Helder Barbalho e demais envolvidos na compra de respiradores inservíveis, incluindo o ex-secretário adjunto de saúde do Pará, o gaúcho Peter Cassol, na casa do qual foram encontrados R$ 750 mil em dinheiro vivo, escondidos dentro de uma caixa térmica.

Segundo a PF, esta fase tem por objetivo colher mais elementos sobre a participação de um dos investigados dentro dos fatos sob apuração, bem como verificar se há compatibilidade entre seu patrimônio e rendimentos. Os mandados foram cumpridos no Estado do Rio Grande do Sul, terra de Cassol, mais especificamente nas cidades de Porto Alegre e Xangrilá, e contou com a participação de 25 policiais federais.

Sobre a operação - Matinta Perera é uma personagem do folclore brasileiro, mais precisamente na Região Norte do país. Trata-se de uma bruxa velha que à noite se transforma em um pássaro agourento que pousa sobre os muros e telhados das casas e se põe a assobiar, e só para quando o morador, já muito enfurecido pelo estridente assobio, promete a ela algo para que pare (geralmente tabaco, mas também pode ser café, cachaça ou peixe). Assim, a matinta para e voa, e no dia seguinte vai até a casa do morador perturbado para cobrar o combinado. Caso o prometido seja negado, uma desgraça acontece na casa do que fez a promessa não cumprida.

Fonte: Roma News