Fotografo: Reprodução
...
Na Rua Galdino Veloso, na área central, placas foram colocadas impedindo moradores de estacionar seus carros

Muitos proprietários de residências em Santarém, no oeste do Pará, procuraram nosssa reportagem para denunciar o abuso praticado por donos de estabelecimentos comerciais (supermercados, mercadinhos e outros), principalmente na área comercial, que por conta própria colocam placas de "proibido estacionar" nas ruas onde possuem comércio. O mais grave de tudo, é que esse abuso tem o apoio das auroridades ligadas ao trânsito, pois nada fazem para impedir. O pior, segundo um denunciante, é que os proprietários dessas residências não podem estacionar seus veículos nesse locais, só caminhões de cargas e descargas de mercadorias. Quem se atreve a estacionar, tem seu seu veículo guinchado e levado para o pátio da empresa que ganhou a licitação da SMT.
A instalação de duas placas de 'proibido estacionar', em frente a uma residência na Rua Galdino Veloso, entre as Travessas Augusto Monte Negro e Padre João, na área central da cidade, levou o proprietário a questionar o 'serviço público'.
"Gostaria de saber, se essas placas de PROIBIDO ESTACIONAR, permitindo somente carga e descarga, podem ficar em frente à minha residência?", questiona o morador, que pediu para manter a identidade no anonimato. 
Ele revela que as placas foram instaladas por volta de 1h30, da última quinta-feira, 08 de outubro, impedindo que parentes e amigos estacionem veículos em frente à sua casa. 
"Fica aqui na Galdino Veloso, no Centro, proximo ao Supermercado Rei Lar. Uma fica no início da Loja ATACAREJO. A outra fica no fim da calçada da minha casa, impedindo que minha familia e meus amigos, estacionem seus carros em frente à minha casa. E tudo isso como se minha casa fizesse parte de toda extensão da ATACAREJO. Estou indignado com toda essa tramóia que estão fazendo na calada da noite. Eu quero saber se isto está certo? Pois até onde sei, minha casa não é ponto comercial", declarou o morador, bastante indignado.
FALTA DE ESTACIONAMENTO NA ORLA DE ALTER DO CHÃO
Falta de estacionamento, na orla de Alter do Chão, gera reclamação de condutores de veículos. Para eles, a paradisíaca Vila Balneária de Alter do Chão, distante 37 quilômetros de Santarém, no oeste do Pará, virou um local de muitos donos, onde a Lei não é respeitada, principalmente para as pessoas que procuram esse balneário para o lazer e não encontram um local para estacionar seus veículos.
Denúncia encaminhada à nossa reportagem, informa que ao longo da Travessa Lauro Sodré, na orla do balneário mais famoso do Pará, placas de 'proibido estacionar' se multiplicam.
Eles apontam proprietários de hotéis, pousadas e restaurantes os responsáveis pela proibição de vagas de estacionamento, próximo à Praça 7 de Setembro, na Vila Balneária. Em todo esse espaço ninguém pode estacionar seus veículos, pois o local tem seus “donos”.
Turistas e moradores da cidade pedem que os órgãos de fiscalizações entrem em ação para acabar com esse monopólio, em especial a SMT, que é o órgão fiscalizador do trânsito no Município.
“Isso está fazendo com que a gente deixe de frequentar a vila balneária e volte para Santarém, pois de nada adianta viajarmos mais de 30 quilômetros, e quando chegamos aqui, não podemos estacionar nossos veículos. Isso está parecendo um cartel, pois só quem pode estacionar são os proprietários de residências, pousadas e hotéis. Isso pode prejudicar o turismo, que alavanca a economia na Vila”, desabafou um motorista.
Fonte: Portal Santarém