Fotografo: Reprodução
...
HRBA é referência para uma população de mais de 1,1 milhão de pessoas residentes no Oeste do Pará

As infecções hospitalares, adquiridas dentro de unidades voltados para a assistência em saúde, ocorrem geralmente em enfermarias e UTIs (Unidades de Terapia Intensiva), sendo transmitidas entre pacientes, acompanhantes e se as práticas e medidas de segurança não são adotadas de forma devida.

No Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde, estima-se que a taxa de infecções hospitalares atinja 14% das internações. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), revelam que cerca de 234 milhões de pacientes são operados por ano em todo o mundo. Desse total, um milhão acaba falecendo em decorrência de infecções hospitalares. Outros sete milhões apresentam algum tipo de complicação no pós-operatório.

Em Santarém, no Estado do Pará, o Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA) conseguiu reduzir em 30% as principais infecções hospitalares relacionadas a procedimentos invasivos. O resultado foi alcançado a partir da execução de ações que integram o Projeto Colaborativo “Melhorando a Segurança do Paciente em Larga Escala no Brasil”, do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (Proadi-SUS).

O HRBA é referência para uma população estimada em mais de 1,1 milhão de pessoas residentes em 20 municípios do Oeste do Pará, e o resultado alcançado faz parte das ações do primeiro ciclo do projeto, que ocorreu de janeiro de 2018 a junho de 2019. O hospital é uma unidade de atendimento público do Governo do Estado, sendo gerenciado desde 2008 pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, sob contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa).

A redução foi alcançada após o hospital adotar atitudes simples, como: a Hora “D” de higienização das mãos com horários fixos de lavagem às 11h, 16h e 21h; avaliação da técnica correta de higiene das mãos, por meio do método de bioluminescência; instalação de etiquetas alusivas nos recipientes de álcool em gel e sabão, para facilitar a reposição rápida; instituição do “Projeto Envolver”, que permite que o acompanhante/visitante dos pacientes reconheça os colaboradores que adotam as práticas corretas de higiene das mãos, colocando selos nos crachás.

O território do Pará abrange boa parte da floresta Amazônica, a maior floresta tropical do mundo. Neste contexto, além da grande variedade de culturas, climas e etnias, os desafios enfrentados na região envolvem o atendimento especializado em saúde à locais remotos, acessíveis em algumas ocasiões apenas por meios fluviais.

O hospital conseguiu reduzir a incidência da infecção hospitalar em casos de Pneumonia associada a Ventilação Mecânica (PAV) e do Trato Urinário associadas à sonda vesical de demora (ITU/SVD). Em 2017, antes da implantação do projeto, havia uma incidência de 30 a 36 casos de infecções por ano. Em 2018, os casos caíram para 12. Neste ano, até o momento, seis casos foram notificados.

AS MUDANÇAS EM BUSCA DE RESULTADOS

O trabalho realizado pelo Hospital Regional de Santarém faz parte do Projeto Colaborativo do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (Proadi-SUS), em parceria com os cinco Hospitais de Excelência: Hospital Alemão Osvaldo Cruz (SP); Hospital do Coração (SP); Hospital Israelita Albert Einstein (SP); Hospital Sírio Libanês (SP) e o Hospital Moinhos de Vento (RS).

O projeto tem como objetivo orientar os profissionais de saúde dos 119 hospitais públicos participantes, que prestam serviço para o SUS, quanto às melhores práticas para o cuidado do paciente.

“A nossa meta era baixar os casos de infecção relacionados a pneumonia. Nós conseguimos superar essa meta. Já a infecção do trato urinário, reduzimos tanto, que estamos atualmente com dois meses sem registros”, celebra a supervisora do Controle de Infecção Hospitalar do HRBA, Sheila Oliveira.

O coordenador da UTI Adulto, o cardiologista Antônio Carlos, comenta os resultados positivos e ressalta a importância do trabalho multidisciplinar. “Isso é uma vitória importante. Conseguimos estes resultados por meio do esforço multidisciplinar, pois envolveu médicos, enfermeiros, equipes de limpeza, entre outros. Melhor ainda é dizer que esses resultados demonstram que mais vidas estão sendo salvas em nosso hospital”, explicou.

As infecções contraídas em ambientes hospitalares podem trazer risco de morte. No entanto, o contágio também pode ocorrer em clínicas e consultórios. Para o diretor Hospitalar do HRBA, Hebert Moreschi, independentemente do local onde haja a infecção, a redução dos casos simboliza mais vidas salvas.

“O HRBA é referência nos procedimentos de altíssima complexidade, na Região Amazônica. Este projeto faz parte de um complexo e extenso conjunto de esforços para tornar o hospital uma excelência mundial em gestão hospitalar, dentro de um programa de qualidade e segurança muito bem consistente e implantado há alguns anos. Conseguimos tornar isso realidade com os esforços de uma equipe multidisciplinar e com desempenho de diversas áreas diferentes. Os grandes problemas que as UTIs brasileiras enfrentam, ainda é, a infecção hospitalar. O trabalho realizado no HRBA traz um controle ainda maior em relação as infecções, com indicadores cada vez mais favoráveis”, afirma Moreschi

Além da Unidade de Terapia Intensiva, o HRBA conta com procedimentos de oncologia, neurocirurgia, ortopedia, transplantes realizados e cirurgia cardíaca. Na região da floresta Amazônica, 14 hospitais localizados nos estados do Pará, Rondônia, Mato Grosso, Acre e Amapá - a maioria, pública - são gerenciadas pela Pró-Saúde, uma entidade filantrópica com mais de meio século de atuação na gestão em saúde.

A Pró-Saúde possui seis hospitais no estado do Pará com certificação da Organização Nacional de Acreditação (ONA), a mais importante e respeitada entidade avaliadora da qualidade dos serviços de saúde do Brasil. Destes, três já alcançaram o nível máximo, acreditado com Excelência de nível 3 (ONA 3). São eles os hospitais Regional do Baixo Amazonas, em Santarém, e Regional Público da Transamazônica, em Altamira, e o Hospital Público Estadual Galileu, em Belém. Além disso, o Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, primeira unidade pública e especializada em câncer infantojuvenil na região amazônica, já recebeu neste mês a indicação para acreditação ONA 3.

 

HOSPITAL REGIONAL DE SANTARÉM PROPORCIONA DIA DE PRÍNCIPE E PRINCESA PARA PACIENTES EM TRATAMENTO CONTRA O CÂNCER

Em ação especial desenvolvida com o apoio de voluntários, dois pacientes tiveram um dia especial com tratamentos de beleza e almoço com vista para o rio Tapajós

O Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), em Santarém, proporcionou na última sexta-feira (8), um dia de príncipe e de princesa para dois pacientes que estão em tratamento contra o câncer na unidade. A ação, que faz parte das atividades da Campanha Outubro Rosa e Novembro Azul, teve como finalidade permitir que Antônio Cruz, de 68 anos e Margarete Silva, de 59 anos, esquecessem um pouco da rotina cansativa do tratamento, se distraindo com momentos de lazer e bem-estar, nunca vividos antes.

A Pró-Saúde, gestora do Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), conta com o apoio de diversos grupos de voluntários para tornar o ambiente hospitalar mais humanizado, acolhedor e propício à recuperação dos pacientes que passam diariamente por tratamento nas unidades geridas pela entidade em todo o país.

A ação foi possível por meio de parcerias fechadas com empresas voluntárias. A empresária Lianete Egwart, dona de um espaço de estética, foi uma das voluntárias, e não hesitou em colaborar. “Sempre quis participar de iniciativas como esta, mas não achava o caminho certo. Quando a equipe do hospital falou sobre a parceria, aceitei na hora. Não estou apenas dando um dia especial apenas a eles, mas também a mim  mesma e as minhas colaboradoras. Vai um pouco do nosso amor para eles, e sem dúvida, eles nos deixam com muita gratidão no coração, em podermos ser solidários neste momento tão difícil que enfrentam com a saúde. Que essa ação especial seja um combustível para ajudá-los a vencer essa luta”, desejou.

O dia especial começou no Hospital, mas dessa vez nada de agulhas ou medicamentos. Antônio e Margarete, acompanhados com a esposa e a neta, respetivamente, receberam as boas-vindas do diretor Hospitalar do HRBA, Hebert Moreschi. Em seguida, foram transportados até o Lia Spaço Corpo, onde fizeram manicure e pedicure. Antônio recebeu cuidados nas sobrancelhas e Margarete deu um toque na beleza com a maquiadora voluntária Maria Chaves.

Margarete está em tratamento contra um carcinoma na região da axila. Já passou por quimioterapia, radioterapia e fez cirurgias para retirada do tumor. Ela atuava como chefe de cozinha, e não vê a hora de estar curada para voltar às atividades normais. “Estou tendo um dia incrível, nunca pensei em viver isso. Já fui no salão algumas vezes, mas com esse tratamento todo, é a primeira vez. A gente não se sente só bem, se sente vivo e amado”, disse contente.

Antônio faz tratamento no hospital para combater um câncer na próstata. Natural de Oriximiná, seu o desejo é alcançar a cura o mais breve possível, para voltar à sua cidade. “É um dia muito feliz, uma experiência única. Agradeço a toda a equipe do hospital por nos proporcionar esse dia, um momento que vai deixar minha vitória mais brilhante”, ressalta.

O passeio levou príncipe e princesa até o restaurante Casa do Saulo, que fica em uma praia na comunidade Carapanari, e também foi voluntário na ação. A paisagem do lugar, composta por floresta e pela imensidão do rio Tapajós, deixou os dois deslumbrados. A visita foi inédita para ambos. Para o dia ficar registado além da memória, a fotógrafa voluntária, Vanessa Barros, realizou um ensaio fotográfico com os pacientes.

“Passamos por muitas fases no decorrer de nossa vida e a fotografia tem o poder de eternizar esses momentos. As vezes estamos na correria do dia a dia, no caso deles, na correria do tratamento.  São turbilhões de emoções.  A fotografia proporciona o aumento da autoestima, a certeza de que temos força dentro da gente e podemos vencer qualquer barreira. Minha fotografia é baseada no poder que temos em nosso interior”, destaca a fotógrafa.

Especializado em casos de média e alta complexidades, o HRBA é referência em atendimentos de oncologia no oeste do Pará, e reconhecido como um dos dez melhores hospitais públicos do Brasil.

“Sabemos que os pacientes quando recebem diagnóstico de câncer, tendem a ter uma reação negativa, porque realmente não é fácil. Mas hoje, esses dois pacientes tiveram um dia extremamente especial em suas vidas, mostrando que é possível realizar um tratamento oncológico e ter uma vida normal, aproveitando o convívio familiar e social. Queremos mostrar que mesmo enfrentando uma doença, eles estão vivos, e devem compartilhar a alegria com todos que os rodeiam. É um dia especial para nós também. O príncipe e a princesa representam todos os pacientes”, afirma o diretor Hospitalar, Hebert Moreschi.

O HRBA atende a uma população de 1,1 milhão de pessoas residentes em 21 municípios da região, e é certificado pela Organização Nacional de Acreditação com o nível máximo de qualidade, a ONA 3 – Acreditado com Excelência.

 

PRÊMIO AMIGO DO MEIO AMBIENTE

Entidade participa do 12º Seminário Hospitais Saudáveis; além de duas unidades premiadas, de Vitória (ES) e Santarém (PA), outras 15 iniciativas da Pró-Saúde ganharam Menção Honrosa por projetos de sustentabilidade e reconhecimento internacional

 Referência nacional em gestão hospitalar e sustentabilidade, a Pró-Saúde foi destaque durante a solenidade de entrega do Prêmio Amigo do Meio Ambiente, realizado dentro da programação do 12º Seminário Hospitais Sustentáveis (SHS), promovido na capital paulista, na segunda-feira (11/9). “É uma honra muito grande ter duas unidades administradas pela Pró-Saúde como vencedoras do Prêmio Amigo do Meio Ambiente. Essa conquista vem ao encontro da nossa política institucional. A entidade quer se destacar tanto pelo cuidado com o paciente, quanto por atividades sustentáveis, de renovação e cuidado com a natureza, e tantas outras iniciativas que visam o bem comum. Estamos cuidando do meio ambiente, dos nossos pacientes e, também, dos nossos colaboradores”, comemorou o vice-presidente da Pró-Saúde, Mons. Antônio Robson Gonçalves.

Promovida pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, a premiação reconheceu duas iniciativas de sustentabilidade na gestão de medicamentos realizadas pelos hospitais Regional do Baixo Amazonas, em Santarém (PA), e Estadual de Urgência e Emergência, em Vitória (ES), ambos gerenciados pela Pró-Saúde. Na edição deste ano, que premiou 15 vencedores, foram 146 projetos inscritos – o maior número já registrado em 12 anos de existência.

O Prêmio Amigo do Meio Ambiente reconhece organizações de saúde do Sistema Único de Saúde (SUS), em âmbito nacional, que se destacaram por iniciativas de proteção do meio ambiente e sustentabilidade. Além disso, premia o mérito das melhores iniciativas e visa, também, estimular os profissionais e dirigentes das unidades de saúde do SUS a desenvolverem uma cultura perene de preservação ambiental, adotando soluções efetivas e ecologicamente sustentáveis. “Atualmente, o impacto sobre o meio ambiente é algo que compromete a perenidade de um serviço. Por isso, é fundamental desenvolver atividades que reduzam esse impacto, para que possamos continuar exercendo as atividades de saúde respeitando um dos principais valores do modelo de gestão da Pró-Saúde, que é a sustentabilidade”, destacou Fernando Paragó, diretor Corporativo Médico da Pró-Saúde, durante sua participação do Seminário.

Parceira oficial do Seminário Hospitais Saudáveis, a Pró-Saúde atua em 12 Estados brasileiros e conquistou outro importante feito: 14 iniciativas hospitalares da entidade, voltadas para práticas sustentáveis, também foram reconhecidas pelos organizadores, e receberam uma Menção Honrosa pelos resultados obtidos em prol da comunidade.

“Quero aproveitar para parabenizar os colaboradores do Hospital Estadual de Urgência e Emergência e do Hospital Regional do Baixo Amazonas por essa conquista. Estendo esse cumprimento, de modo especial, a todos colaboradores da Pró-Saúde, que se empenham em diversas campanhas e projetos de sustentabilidade”, completou o vice-presidente da entidade, Mons. Antônio Robson.

PROJETOS PREMIADOS

O Hospital Estadual de Urgência e Emergência (HEUE), localizado em Vitória, no Espírito Santo, foi um dos vencedores do Prêmio Amigo do Meio Ambiente, com o projeto “Melhoria na Gestão da Dispensação dos Medicamentos e Redução de Resíduos”, desenvolvido pela equipe de Farmácia da unidade. Já o Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), de Santarém, município localizado no interior do Pará, foi premiado pelo case de “Redução da Geração de Resíduos Quimioterápicos”.

“Hoje está sendo um dia muito importante para toda a equipe do HEUE. O projeto representa um trabalho de equipe que envolveu diversas áreas, que se engajaram para que o sucesso fosse alcançado. Nosso projeto visa a otimização na dispensação de medicamentos, melhorando o gerenciamento e os índices de devolução e, por consequência, reduzindo o desperdício de medicamentos. Tudo isso teve um grande impacto na redução de resíduos, gerando um ganho para o meio ambiente”, ressaltou Edna Ormi Galazi, coordenadora de Farmácia do HEUE, que representou a unidade durante a premiação.

Para Ana Karen Santos Cardoso, assessora técnica do HRBA, representante da unidade, a experiência da unidade permitiu alcançar resultados de alto impacto. “É uma satisfação enorme estar aqui em São Paulo, representando todos os colaboradores do Hospital Regional do Baixo Amazonas. Reduzimos os resíduos quimioterápicos da farmácia, a partir de um projeto implantado em julho de 2017. E, neste ano, alcançamos nosso objetivo principal, que era de reduzir a taxa global em 20%”, destacou.

“São dois temas bastante sensíveis, duas atividades que impactam de forma significativa o meio ambiente e que foram tratadas de forma criativa, profissional e comprometida, reduzindo significativamente o impacto causado pelas unidades. É muito importante para a Pró-Saúde estar presente neste evento, com 16 trabalhos representando a instituição, dois deles premiados na categoria principal”, finalizou o diretor Médico da Pró-Saúde, Fernando Paragó.  

Já o Hospital Público Estadual Galileu (HPEG), unidade gerenciada pela Pró-Saúde em Belém (PA), conquistou o prêmio “Health Care Climate Challenge”, que será entregue nesta terça-feira (12/11). O HPEG foi um dos cinco vencedores brasileiros do Desafio do Clima pela Rede Global de Hospitais Verdes e Saudáveis. Foram reconhecidos em todo o mundo mais de 40 instituições participantes, de 15 países, sendo três instituições premiadas na África, uma na Ásia, sete na Europa, sete na América Latina, três no Pacífico e 20 no Canadá/Estados Unidos da América.

O critério de avaliação foi o desenvolvimento de cuidados de saúde inteligentes em termos de clima, ou seja, aqueles que conseguem reduzir seus próprios impactos climáticos e que geram uma economia sustentável. Para ser inserido no projeto que possibilitou a conquista do prêmio, o HPEG realizou um inventário de emissão de gases do efeito estufa, que definiu metas e estratégias de redução significativa, por meio de ações como blitz do desperdício, blitz de resíduos, substituições das lâmpadas fluorescentes por lâmpadas de LED, entre outras iniciativas. Com informações e foto de Karla Lima.

Fonte: Portal Santarém