Fotografo: Reprodução
...
Cuidado com a higienização é a principal forma de barrar a contaminação pelo vírus

Ainda existem muitas dúvidas sobre o novo coronavírus, principalmente sobre os cuidados com a higienização no dia a dia. Para esclarecer os principais mitos e verdades sobre o tema, especialista do Hospital Regional do Sudeste do Pará Dr. Geraldo Veloso (HRSP), localizado em Marabá, apresenta dicas e orientações para a população.

De acordo a enfermeira Erika Viana, especialista do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH), do HRSP, o cuidado com a higienização é a principal forma de barrar a contaminação pelo vírus.

"Temos que manter a atenção redobrada, tanto em casa, no trabalho, como nos espaços públicos. Existem muitas dúvidas sobre o assunto, por isso é importante seguir as orientações que os órgãos oficiais de saúde aconselham para não contrair a doença", explicou.

O Regional de Marabá, unidade do Governo do Pará, gerenciada pela Pró-Saúde, é um hospital que presta atendimento 100% gratuito pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A unidade faz parte da rede de referência, secionado pela Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (Sespa) e Ministério da Saúde, no atendimento de casos graves da Covid-19 no Pará.

Confira algumas dúvidas frequentes sobre higienização esclarecida pela especialista:

É possível medir quanto tempo o vírus permanece nas roupas e tênis antes que haja contaminação?

Não existe um estudo ainda comprovado sobre o tempo que o vírus permanece nas roupas, pois são absorvidas pelo tecido em diferentes velocidades, dependendo da fibra, mais alguns pesquisadores sugerem que o poliéster e materiais semelhantes como à lycra, podem conservar germes por mais tempo que os tecidos à base de algodão. Quanto aos calçados, o maior perigo está na sola dos sapatos, onde o vírus pode ficar ativo até por cinco dias.

Devo lavar minhas roupas ao voltar do supermercado? E minhas compras?

Sim. Por ser um ambiente de aglomeração de pessoas, o ideal para bloquear a exposição e sempre lavar essas roupas separadamente das demais. Em relação as compras, devemos ter cuidado com as sacolas e produtos, realizando a higienização com álcool em gel 70%. No caso de verduras, legumes e hortaliças, o hipoclorito de sódio é o ideal para a higienização.

Se não puder lavar imediatamente as roupas que usei, devo guardá-las do lado de dentro de casa?

Não é aconselhável. O ideal e que as roupas estejam em ambientes bem arejados em áreas de serviço na parte externa. Se a casa não possui este espaço, tentar procurar um local de pouca circulação de pessoas, e acondicioná-las em recipientes bem fechados. 

E quanto ao tênis, qual o procedimento correto? Lavar e deixar do lado de fora?

Ao chegar da rua, retire o sapato antes de adentrar em casa e busque lavar com água e sabão o solado do sapato, que é o principal vetor de contaminação. Se precisar utilizá-lo novamente logo em seguida, e não poder lavá-lo por completo, passe álcool gel 70% em toda a sua superfície também e deixe em uma área externa ao sol.  É importante também deixar um único calçado para usar na rua e outro para usar dentro de casa.

Preciso tomar banho sempre que retornar de lugares públicos?

É aconselhável que sim. Por se tratar de locais de grande concentração de pessoas, gotículas com vírus podem estar suspenso no ar, e contaminar roupas e objetos utilizados, por isso o ideal e sempre tomar banho.   

E quanto ao cabelo e barba, quais os riscos de contaminação? Devo tirar a barba?

O risco de contaminação nos cabelos e barbas é muito baixo, mas existe, devido as gotículas do vírus, que podem estar suspensa no ar se alguém com a doença espirrar no ambiente. Em relação a barba, os profissionais de saúde que estão na linha de frente precisam ter atenção é mantê-las sempre curta, para não prejudicar a vedação das máscaras que são utilizadas. Para os demais, e aconselhável lavar o rosto regularmente evitando assim o contágio.  

Lavar o cabelo sempre que voltar para casa?

Depende, isso vale principalmente para as mulheres que possuem cabelos longos. Se você for a locais de grande aglomeração de pessoas, e com os cabelos longos soltos, é aconselhável que você lave. Se você sair de casa sempre com os cabelos presos no caso das mulheres, manter o distanciamento social, e evitar locais com aglomeração, deve seguir a higienização normal que você já realizava antes da pandemia.    

O vírus pode permanecer nas cartas, jornais e encomendas? Preciso higienizá-las?

Sim. Existem estudos iniciais em que a Covid-19 sobreviveu por 24 horas quando depositados em papeis, papelões e, de dois a três dias, sobre superfícies de plástico. É necessário a higienização com álcool gel 70% como forma de prevenção. 

Quando estiver desinfectando compras e outros objetos, preciso permanecer de máscara mesmo se estiver dentro de casa?

Sim. Pois a máscara evita que tocamos o rosto com as mãos, ainda mais durante procedimentos de desinfecção. 

E quais as orientações para óculos e celulares? Com que frequência é necessário higienizá-los?

Como são objetos muito utilizados, requer atenção especial em locais de grande aglomeração, evite tocá-los. O ideal é higienizá-los de duas a três vezes ao dia, principalmente para aqueles que precisam continuar saindo de casa e tendo contato com outras pessoas.

E quais os produtos que eliminam o coronavírus? Existem outros além de sabão e álcool em gel?

Água sanitária, desinfetantes em geral, limpadores multiuso a base de cloro e álcool, detergentes e álcool de limpeza (líquido), além de sabão. A água sanitária é bastante eficaz. Deve-se respeitar e tomar cuidado com as formas de uso de todos esses produtos.

Devo sempre higienizar as comidas entregues via delivery?

Sim sempre, pois são comercializados em embalagens de plásticos ou papelão que podem estar contaminados com o vírus.

Quanto aos brincos, anéis e demais adereços, posso usá-los fora de casa?

O ideal e que não se use, pois podem passar desapercebidos e serem áreas de acúmulo do vírus. Se forem utilizados ao chegar em casa, deve ser feito uma higienização rigorosa com álcool em gel 70% para desinfeta-los.

Fonte: Portal Santarém e Ascom/HRSP