Fundador jornalista Jerffeson de Miranda em 10 de janeiro de 2018

Cidadão Repórter

(93)91472925
Santarém(PA), Quarta-Feira, 20 de Janeiro de 2021 - 00:14
06/01/2021 as 11:12 | Por Redação | 3999
Facção criminosa com origem no Rio de Janeiro amedronta famílias de Santarém (PA)
Organização criminosa Comando Vermelho, também conhecida pelas siglas CV e CVRL, está expandindo a violência a 2.592 quilômetros de distância do seu lugar de origem
Fotografo: Reprodução
Após ficarem viciados e sem dinheiro para comprar droga, jovens são induzidos a cometer crimes

Uma facção criminosa, com origem no Estado do Rio de Janeiro amedronta, coage e promove terror às famílias da Região Metropolitana de Santarém (RMS), no oeste do Pará. Criada em 1979 no Instituto Penal Cândido Mendes, na Ilha Grande, Angra dos Reis, Rio de Janeiro, a organização criminosa Comando Vermelho, também conhecida pelas siglas CV e CVRL, está expandindo a violência a 2.592 quilômetros de distância do seu lugar de origem, na região oeste do Pará, principalmente através da infiltração de crianças e adolescentes, no tráfico de drogas, segundo moradores.
Membros do Comando Vermelho, de acordo com uma moradora, aliciam os jovens nas ruas de Santarém, oferecendo a eles, primeiramente, uma determinada quantidade de drogas como ‘amostra grátis’, para que possam experimentar o entorpecente.
Após ficarem viciados e sem dinheiro para comprar a droga, os jovens são induzidos a cometer diversos crimes, como furtos, roubos, assaltos, latrocínios, homicídios, entre outros delitos, para sustentar o vício e fomentar a organização.
Alguns deles, segundo a moradora, são recrutados pelo Comando Vermelho para ‘trabalhar’ no tráfico, com a venda e o transporte de entorpecentes. Ela revela que seu filho, menor de idade, foi aliciado pela facção e, hoje, sua família está sendo obrigada a viver escondida, para que não seja dizimada pelo Comando Vermelho.
“Eu e meu marido decidimos trazer nossos filhos para estudar na cidade. Depois de alguns meses que chegamos aqui, o caçula foi aliciado por essa facção e se envolveu com drogas. Ele contraiu dívidas com os chefes, e foi condenado a morte. Hoje, minha família vive escondida. Não podemos voltar para a nossa comunidade no interior e nem ficar muito tempo na cidade, porque todos nós fomos jurados de morte”, declarou uma moradora da região ribeirinha de Santarém.
Além de bairros periféricos, como Área Verde, Nova República, Santarenzinho, Maracanã, Matinha, Ipanema, Diamantino, Residencial Salvação e Ocupação Bela Vista do Juá, comunidades do interior do Município, também entraram na zona de atuação da organização criminosa. Entre elas, São Pedro, Mentai e Cachoeira do Aruã (Rio Arapiuns), Vila Curuai (Lago Grande) e comunidades da área de influência da rodovia Santarém-Cuiabá (BR-163), como São Jorge, no Município de Belterra.
Os moradores revelam o terror promovido pelos chefões do Comando Vermelho, na região da BR-163. “Meu filho foi assassinado de forma brutal. Ele tinha sido encarcerado no Presídio de Cucurunã, em Santarém. Acho que foi lá que ele conheceu esse pessoal. Só sei que, no ano passado, eu perdi meu filho. Ele foi morto com várias facadas e ainda cortaram sua cabeça, numa comunidade perto da BR-163, em Belterra. Até agora ninguém foi preso”, denunciou uma agricultora.
Uma moradora da Comunidade de São Jorge diz que o tráfico e consumo de drogas aumentou assustadoramente, nos últimos anos, na área de influência da BR-163. “Aqui na nossa comunidade, já existem jovens viciados em drogas. Algumas famílias já estão sendo dilaceradas por esse problema. Há pouco tempo não haviam roubos, nem assaltos aqui. Hoje, já saímos de casa com medo de sermos roubados. Alguém tem que fazer alguma coisa. Do jeito que está, não dá pra ficar!”, exclamou a dona de casa.
Por: Manoel Cardoso
Fonte: Portal Santarém




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil