Fundador jornalista Jerffeson de Miranda em 10 de janeiro de 2018

Cidadão Repórter

(93)91472925
Santarém(PA), Quarta-Feira, 02 de Dezembro de 2020 - 12:05
10/01/2020 as 14:36 | Por Da Redação | 681
Escola de Educação Ambiental impulsiona preservação com doação de mais de 100 mil mudas
Sob atual gestão municipal, escola já recebeu novos espaços e revitalização.
Fotografo: Reprodução
Escola desenvolve diversas ações de reflexão ambiental a exemplo da Semma, em 2019

A Escola de Educação Ambiental do Parque da Cidade desenvolve no município um papel crucial na conscientização e preservação dos recursos ambientais. Desde 2017, mais de 100 mil mudas foram doadas, acima de 18 mil atendimentos ofertados e 57 mil arrecadações de embalagens. A Escola é uma iniciativa da Prefeitura de Santarém, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed).

Segundo a coordenadora da unidade, professora Raimunda Ferreira, quase 100% do planejamento, objetivos e metas estabelecidos para quatro anos foram conquistados em um. A cada ano os números superam o de anos anteriores. Em 2017, foram 8.250 atendimentos para estudantes. Em 2018, 4.466 e em 2019 foram 5.567, totalizando 18.283.

As doações de plantas em 2017 foram 8.864, em 2018 foram 35.791 e em 2019 foram 57.787, totalizando 102.442. A arrecadação de embalagens em 2017 foram 11.162, em 2018, 30.264 e em 2019 foram 15.926, totalizando 57.352 embalagens arrecadadas e, que são repassadas ao Projeto Baderna parceiro da Escola com relação à produção de mudas.

“Um dos desafios da Educação Ambiental é possibilitar momentos de reflexão com as pessoas sobre a importância de manter o equilíbrio ambiental e a responsabilidade de usufruir dos recursos oferecidos pela natureza, criando uma nova mentalidade, visando uma harmonia entre o ser humano e o meio ambiente”, informou Raimunda Ferreira.

Em três anos, sob a atual gestão municipal do prefeito Nélio Aguiar, a Escola teve avanços na infraestrutura com a entrega de novos espaços e recebeu serviços de pintura, piso, renovação de setores e paisagismo. Além do engajamento do papel social de preservação ambiental com aumento no atendimentos aos alunos, nas participações em atividades ambientais da cidade e na distribuição de mudas.

Em 2019, a Escola foi sede da Semana Municipal do Meio Ambiente que impulsionou reflexões a respeito dos cuidados que todos devem ter com o lugar em que se vive.

Ações e parcerias integradas

Todas as ações desenvolvidas durante o ano de 2019 pela Escola de Educação Ambiental contaram com a parceria de diversas instituições, a exemplo do Projeto Baderna, a Escola de Ensino Técnológico do Estado do Pará (EETEPA), Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa), a Secretaria Municipal de Agricultura e Pesca (Semap), Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma), Escola D’água, o Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-Bio), a empresa Endicon Engenharia e o Núcleo Técnico Municipal (NTM).

A equipe é composta de quatro professores, um educador ambiental, dois vigias, uma servente, dois auxiliares administrativos, um monitor e um auxiliar de serviços gerais.

Alunos e mudas

A professora Esperança Cardoso Guimarães é responsável pelo acompanhamento dos alunos nas trilhas e também pela distribuição das mudas de plantas, e nesse aspecto, mencionou que houve campanhas sobre a coleta de sacolinhas, utilizadas pelo Projeto Baderna, como recipiente para produção das mudas. Além disso, a Escola de Educação Ambiental tem um minilaboratório de produção de mudas, hoje, inclusive, produzindo sementes de espécies medicinais, florestais, frutíferas e ornamentais.

Esperança disse que 2019 foi um ano produtivo à Escola de Educação Ambiental, pois distribuiu mais de 58 mil mudas de plantas à comunidade escolar de Santarém e às cidades vizinhas, como Belterra e Mojuí dos Campos.

Educação ambiental

A professora Clarisse Rebelo Silva exerce a função de Educadora Ambiental na Escola do Parque, responsável pelo atendimento aos alunos. Segundo ela, 2019 foi proveitoso e a cada ano a escola procura inovar o atendimento, em especial, com relação ao recebimento dos alunos. “Fazemos uma acolhida calorosa, para que os alunos visitantes percebam a importância do trabalho da Escola de Educação Ambiental e se envolvam, tornando-se multiplicadores dessas ações onde quer que possam estar no futuro”, ressaltou. 

Clarisse disse ainda que um dos assuntos repassados aos alunos é sobre a natureza e sobre o autor dessa criação. “Assim como na escola se estuda sobre os diversos autores, aqui na escola do Parque falamos sobre o autor da criação e o que ele quer de cada estudante sobre a preservação do meio ambiente”.  A professora disse que a proposta é fazer com que cada criança se sinta parte da natureza, como se fosse à extensão de um rio, de uma árvore, de uma nuvem, de um pássaro, algo que jamais tenha se visto, pois as pessoas só se veem como seres humanos, mas todo ser é parte integrante da natureza e compreender que homem e natureza tem vida.

Clarisse explicou ainda que a Escola atende estudantes das redes municipal, estadual, particular e grupos sociais de diversos segmentos da sociedade santarena, sendo que o maior público são os alunos da cidade de do interior.

Programa de estágio

A professora Vera Pacheco também é uma das educadoras ambiental da Escola do Parque, responsável pela coordenação dos estagiários. Segundo ela, faz parte do planejamento da Escola o atendimento aos estagiários. Ao chegar à Escola de Educação Ambiental há todo um acompanhamento técnico para que a estada deles no período estipulado pelas suas instituições de ensino realmente valha a pena e que as suas contribuições sejam úteis à comunidade de modo geral.

Pacheco explicou ainda que durante o estágio os alunos exercem atividades de aprendizes, de acordo com o espaço pedagógico são disponibilizados a horta, o serviço de compostagem e outras atividades que extrapolam a educação ambiental, mas que está previsto no programa de estágio dos alunos.  Ao final do estágio os professores responsáveis pelo estágio avaliam os alunos e os estagiários também avaliam o processo de estágio. Em seguida, as avalições são tabuladas e se conclui que a passagem dos estudantes estagiários pela Escola é sempre exitosa enquanto escola de educação ambiental.

Secretaria de Educação

A secretária de Educação de Santarém, Mara Belo, disse que as ações em Educação Ambiental foram desenvolvidas como planejadas. Segundo ela, houve efetivamente o desenvolvimento de uma prática educativa nas escolas e no seu entorno. “A metodologia adotada pelo trabalho de Educação Ambiental em 2019 deu a oportunidade de observar as variadas iniciativas utilizadas pelas escolas e nas salas de aula, de maneira contextualizada, articulada dentro da proposta da transdisciplinaridade”, comentou Mara Belo.

Segundo a Secretária de Educação, os professores receberam o estímulo necessário e a comunidade escolar deu o suporte que deveria, deixando uma gama de conhecimentos aos alunos, que em vez de meros ouvintes se tornaram praticantes e participantes ativos do processo, visando uma educação ambiental coletiva.

Mara Belo disse ainda que nas escolas púbicas municipais onde a Educação Ambiental foi mais trabalhada, o desenvolvimento foi mais eficaz, com qualidade, dando bons resultados como foi mostrado nos desfiles das escolas durante a Semana da Pátria, onde o tema foi bastante difundido e a contribuição da Coordenação de Educação Ambiental teve papel primordial neste resultado. Com informações e foto da Agência Santarém.

Fonte: Portal Santarém

 

 




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil