Fotografo: Reprodução
...
Muitos fatores podem desencadear atitudes violentas entre os jovens.

A agressividade faz parte da adolescência. Mas os casos de violência gratuita que envolvem jovens e adolescentes têm se tornado cada vez maior. O Atlas da Violência 2019, aponta que se os jovens brasileiros formassem um país próprio, as taxas de homicídio desse país se assemelhariam às das nações com os maiores índices de violência do mundo, como o Haiti. Mas porque os jovens estão cada vez mais agressivos?

Muitos fatores podem desencadear atitudes violentas entre os jovens. Para o psicólogo do Hapvida, André Assunção, desestrutura familiar, falta de equilíbrio mental, falta de oportunidades e o convívio com pessoas violentas são os principais fatores. “Todo sujeito pode apresentar desequilíbrio mental dependendo do contexto onde está inserido. No caso da violência, se for diagnosticado algum transtorno mental que justifique a agressividade ou descontrole, o sujeito pode apresentar perigo a si mesmo e aos demais à sua volta. Precisando de tratamento psiquiátrico e psicológico”, comenta.

Alguns sinais devem ser observados, a família deve ser a principal responsável por observar tais comportamentos, assim como a escola deve ajudar os pais a desempenhar este papel, “o papel da família é apoiar e fornecer condições de ajuda, tratamento. A escola intervém na educação e na orientação da família em lidar com as demandas do sujeito. Prevenindo, assim, que essa pessoa se veja incapaz de mudar e de se ajustar à vida social. Porém, em muitos casos, faz-se necessário o diagnóstico e tratamento se houver alguma psicopatologia”, ressalta o psicólogo.

Cabe aos pais procurar entender as causas do comportamento agressivo dos filhos. Agir de forma violenta e agressiva contra amigos e familiares e não expressar arrependimento ou culpa, são sinais que devem ser observados com grande atenção. Muitas vezes, este tipo de comportamento é reflexo da falta de limites ou de pais muito violentos em casa. André ressalta que o diálogo é sempre a forma mais eficaz para procurar entender, “através do diálogo e por meio da aproximação, os pais podem estabelecer limites aos jovens e mostrar a eles que há outras maneiras de se expressar e conseguir resolver os problemas.” O psicólogo do Hapvida finaliza com algumas características que servem de alerta para as famílias e pessoas próximas:

Comportamentos atípicos

- Mudanças de humor fora da normalidade

- Agressividades injustificáveis

- Falta de limites e regras

- Alto nível de stress

Fonte: Portal Santarém e Erika Santos