Fundador jornalista Jerffeson de Miranda em 10 de janeiro de 2018

Cidadão Repórter

(93)91472925
Santarém(PA), Quarta-Feira, 02 de Dezembro de 2020 - 11:46
19/10/2020 as 10:06 | Por Redação | 23519
Cobra-grande ataca banhista no Igarapé do Irurá em Santarém (PA)
Biólogo revelou que ataques de cobras sucurí estão se tornando mais comuns na região oeste do Pará
Fotografo: Reprodução
Fato aconteceu no último final de semana, em um local ao lado do Jardim Zoológico da Unama

Um profissional de segurança privada conta que passou um susto, no último fim de semana, enquanto tomava banho no Igarapé do Irurá, ao lado do Jardim Zoológico de Santarém (ZooUnama), no bairro da Matinha.  
Ele relata que estava descuidado dentro do Igarapé, quando rapidamente sofreu um ataque de uma cobra enorme.
"Eu estava relaxando na água, aí percebi algo passar sobre a minha cabeça. Quando prestei atenção era uma cobra muito grande, da grossura de um botijão de gás. Acredito que esse animal tem uns 10 metros de comprimento. A cobra tem malhas e provavelmente é uma sucurí", relatou o segurança. 
Para ele, foi um milagre a cobra não ter lhe engolido. "Mesmo depois que consegui sair da água, a serpente continuava agitada me procurando com a boca aberta. Eu nunca tinha visto uma cobra desse tamanho. Espero que as pessoas evitem tomar banho nesse local. Essa cobra deve estar lá", recomenda o segurança. 
Além do segurança, um aposentado que reside às proximidades afirma que já viu grandes serpentes no leito do Irurá.
"Esse Igarapé sempre teve muitas cobras. Eu fico apreensivo quando algumas pessoas chegam na minha chácara e pedem pra tomar banho no manancial. Existem mulheres que trazem crianças e, aí o perigo de ataques de cobras aumenta. Eu gostaria que as pessoas evitassem de vir para o Igarapé. Esses animais devem estar com fome. Desta forma, os riscos de ataques são muito grandes", diz o aposentado. 
ATAQUES DE SUCURÍ 
Consultado por nossa reportagem, um biólogo de uma universidade particular de Santarém, revelou que os ataques de cobras sucurí estão se tornando mais comuns na região oeste do Pará. 
Segundo ele, a sucurí está entre as duas maiores espécies de cobras do mundo, podendo atingir 10 metros de comprimento. 
Esta espécie de serpente, de acordo com o biólogo, já foi flagrada devorando bois, veados, antas, jacarés e capivaras. Além desses animais, o biólogo explica, que a sucurí pode também atacar vítimas de grande porte, como seres humanos. 
"Com o desmatamento da região, está começando a faltar alimentos para esses animais. Tem grande possibilidade dessa cobra estar com fome. O ideal, neste momento, é que as pessoas evitem tomar banho nesse local, onde houve o ataque da serpente", avisa o biólogo.
Por: Manoel Cardoso 
Fonte: Portal Santarém




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil