Fotografo: Reprodução
...
Formatura ocorreu durante solenidade realizada no último dia 4 de outubro, no auditório do MPPA, em Santarém

A primeira turma do curso de Especialização em Saúde da Família e Comunidade (ESFC) foi concluída com a formatura de 40 assentados pelo Incra no Oeste do Pará. O curso é o primeiro da modalidade a ser ofertado no Brasil e tem por objetivo capacitar profissionais para atuarem nas áreas da reforma agrária. É voltado às populações do campo, florestas e águas atendidos pela autarquia.

A formatura ocorreu durante solenidade realizada no último dia 4 de outubro, no auditório do Ministério Público do Estado do Pará (MPPA), em Santarém (PA), com a participação dos formandos, suas famílias e convidados, bem como do superintendente regional do Incra no Oeste do Pará, Gustavo Hamoy; da representante da Coordenação-Geral de Educação do Campo e Cidadania do instituto, Caroline Sedlmayer; do reitor da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa), Hugo Diniz; da promotora de Justiça do MPPA, Lilian Furtado Braga; e do vice-prefeito de Óbidos (PA), Isomar Barros.

Durante o evento, houve a entrega de uma placa aos servidores do Incra, em reconhecimento ao empenho e profissionalismo do trabalho desenvolvido ao longo das atividades do curso de especialização. “O Pronera trabalha a democratização do conhecimento no campo, proporcionando a chance de capacitar membros da própria comunidades onde serão desenvolvidos os projetos, essa é a essência que faz toda a diferença”, avaliou o superintendente Gustavo Hamoy.

Caroline Sedlmayer destacou a participação do Ministério Publico na realização do curso. “Para a coordenação do Pronera, foi de suma relevância a participação do MPPA, provocando o Incra para a concretização dessa turma, Com o conhecimento adquirido, temos a convicção de melhoria na qualidade de vida de cada educando e cada comunidade, podendo agregar mudanças significativas no dia a dia”, afirmou a representante do Incra.

O reitor da Ufopa, Hugo Diniz, anunciou durante o evento que a instituição de ensino está aberta a manter cursos e qualificação de assentados e comunidades tradicionais. “Renovo aqui meu compromisso com a iniciativa de continuar investindo e trazendo acesso às comunidades, pois esta é uma das obrigações do Estado: a oferta de educação de qualidade”, assegurou.

Após a entrega dos certificados, a oradora da turma, Verinha Oliveira dos Santos, subiu ao palco para fazer o discurso. Ela falou sobre o apoio recebido pela família e expectativas para o futuro. “Nossos familiares sempre souberam entender a nossa ausência nos períodos que precisávamos vir à Santarém para estudar. Quero agradecer a Deus em primeiro lugar por esse momento tão importante em nossas vidas, a Ufopa e toda a equipe do ISCO por nos proporcionar este curso de Especialização. Agradeço ainda ao Incra e Pronera, pela parceria e confiança depositada aos proponentes do curso. Com certeza, para nós concluintes desta pós, esta oportunidade trará muitos frutos para os povos das comunidades mais desassistidas, principalmente as tradicionais nas quais vivemos”, disse a oradora.

O CURSO

A idealização do curso ocorreu após sugestão do Ministério Público do Pará ao Incra para viabilizar a qualificação de famílias assentadas na região Oeste do estado, visando desenvolver ações de saúde comunitária. A partir daí, a autarquia, por meio do Pronera, tratou com a Ufopa e seu Instituto da Saúde Coletiva (ISCO) para estabelecer a parceria. Assim, em dezembro de 2017 teve início o processo de seleção dos alunos do curso, sendo que as apresentações dos trabalhos de conclusão dos formandos ocorreram em julho de 2019.

O curso de pós-graduação lato sensu – que atendeu as regiões dos municípios de Santarém, Alenquer, Óbidos, Oriximiná, Itaituba, Monte Alegre e Juruti –, teve 18 meses de duração e carga horária total de 570 horas. Utilizou-se como metodologia a pedagogia da alternância, com atividades teóricas e práticas de ensino-aprendizagem, que foram desenvolvidas nos centros de formação (70% da carga horária) e nas comunidades (30% da carga horária). Tal divisão proporciona aos alunos a oportunidade de estudar e produzir, contribuindo para o desenvolvimento sustentável das suas comunidades.

O investimento do Incra para realização do curso foi de R$ 480 mil, destinados a auxílio financeiro e bolsa a pesquisadores, professores e alunos; diárias; passagens e despesas de locomoção. Os alunos receberam auxílio mensal de R$ 250,00 para ajuda de custo e manutenção das atividades.

PRONERA

O Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária (Pronera) é executado pelo Incra em parceria com instituições públicas de ensino, instituições privadas de ensino sem fins lucrativos, governos estaduais e municipais, com a participação de movimentos sociais e sindicais de trabalhadores rurais.

Tem como essência a capacitação de membros das próprias comunidades onde serão desenvolvidos os projetos, na perspectiva de que sua execução seja um elemento estratégico na promoção do desenvolvimento rural sustentável.

Ao longo de duas décadas de história, 191.694 alunos ingressaram em 529 cursos oferecidos. No período, somente em cursos de especialização foram formadas 1.765 pessoas.

Fonte: Portal Santarém e Ascom/Incra