Fundador jornalista Jerffeson de Miranda em 10 de janeiro de 2018

Cidadão Repórter

(93)91472925
Santarém(PA), Terça-Feira, 09 de Março de 2021 - 10:16
20/02/2021 as 09:34 | Por Redação | 287
9 dicas essenciais para uma vida financeira mais organizada
Afinal, um bom planejamento financeiro nos ajuda a atingir objetivos e realizar sonhos
Fotografo: Reprodução
Saiba como organizar suas finanças de maneira prática

Ter uma vida financeira organizada exige muita disciplina e isso pode não ser uma tarefa fácil para muitas pessoas.  

Mas é sempre importante lembrarmos de quão satisfatórios podem ser seus resultados, sejam a curto ou a longo prazo. Afinal, um bom planejamento financeiro nos ajuda a atingir objetivos e realizar sonhos, como a compra de um apartamento, de uma casa, de um carro, férias em outro país, entre outros. 

Pensando nisso, separamos este post com 9 dicas essenciais para quem deseja ter o controle de suas economias e, assim, alcançar metas ainda maiores. Acompanhe com a gente: 

1. Coloque suas dívidas no papel 

Comece fazendo uma lista de suas principais e maiores dívidas e, em seguida, um um cálculo de quanto tempo falta para quitá-las e o quanto elas consomem do seu orçamento mensal. 

Veja se é possível entrar em contato com as instituições as quais você deve e se há  possibilidade de negociação dos valores, identificando aquilo que ainda está em atraso para ser quitado. 

Isto porque, um passo importante da organização financeira é o de entender seu ponto de partida para planejar o seu ponto de chegada.  

2. Identifique seus gastos fixos 

Acabamos de colocar no papel suas dívidas atrasadas, não é mesmo?  

Agora chegou a hora de organizar todos os seus gastos fixos mensais. Faça uma planilha simples com uma lista de valores que você precisa dispor todos os meses do ano, separando-os entre gastos fixos e variáveis.  

Com isso, some-os com as dívidas renegociadas e obtenha um valor específico que te mostrará a sua base de gastos mensais.  

3. Encontre ralos financeiros 

Você sabe dizer para onde seu dinheiro está indo? Com o que está gastando? Qual é o limite do seu cartão de crédito? Como você lida com aqueles gastos que acontecem em pequenas parcelas no decorrer do dia? Tudo isto pode significar os famosos ralos financeiros.  

No final do mês, estes valores podem ter queimado uma grande parcela do dinheiro que sobra após o pagamento dos gastos fixos. Identificá-los é uma parte muito relevante no processo da organização financeira.  

4. Corte o que precisa ser cortado 

Agora você já possui uma noção bastante realista de seus gastos, pense em tudo aquilo que pode ser cortado. Isto é, nos gastos invariáveis feitos ao longo do mês que podem e devem ser economizados.  

Os cortes não precisam ser necessariamente totais, economias parciais são tão importantes quanto as reduções completas. Diminuir o contrato de canais da tv a cabo, cancelar o pacote anual da academia, diminuir o pacote de dados do celular. Veja estas medidas como algo realizado em prol a um objetivo maior no futuro! 

5. Defina objetivos 

Definir objetivos, metas e sonhos é uma ótima maneira de manter-se focado em sua nova organização financeira. Quando definimos onde queremos chegar, o caminho para alcançar este objetivo fica mais claro e entusiasmante, mesmo que trabalhoso.  

Lembre-se, é importante aqui traçar metas reais, ok? Mudança de hábitos não combinam com frustrações, tenha em mente um objetivo plausível e realista. Entenda suas limitações e trabalhe com elas.  

6. Use a tecnologia a seu favor 

Alguns preferem o bom e velho caderno de anotações, outros optam pela planilha no computador. Há quem já esteja totalmente adaptado aos novos aplicativos de controle de gastos e programas online que ajudam na organização financeira.  

Por isso, encontre qual é o caminho mais indicado para você! Sem a ajuda de um meio de organização tudo pode ficar ainda mais complicado. 

7. Crie uma reserva para emergências 

Mesmo que você não consiga estipular um valor para suas reservas logo de início, com o passar dos meses será possível separar uma quantia específica para emergências.  

Isto é importante porque muitas vezes são os imprevistos que causam dívidas inesperadas e complicam todo o planejamento. Conseguir garantir um pequeno fundo monetário para uma emergência é o primeiro passo para quando a organização financeira já deu certo.  

8. Busque saber mais sobre economia 

Pesquise sobre investimentos, sobre como funcionam os impostos e os juros e sobre como está a bolsa de valores. Leia matérias e inteire-se nos noticiários. 

É comum acharmos que estes assuntos estão longe do nosso dia a dia, que são complexos e desnecessários. Mas pelo contrário! Explicações didáticas e acessíveis transformam o assunto em algo descomplicado e profundamente útil para os nossos planos futuros e entendimento do presente. 

9. Dinheiro no exterior 

Caso você já tenha uma quantia guardada ou esteja procurando uma maneira de investir e diversificar seus bens, uma boa dica é a de enviar dinheiro para o exterior. São inúmeras opções de transferências de dinheiro que facilitam o armazenamento de quantias, tanto em reais quanto em outras moedas.  

Além disso, considere a possibilidade de investimento nestas moedas ou mesmo a recente desvalorização do real e o aumento do valor de mercado do dólar e euro, por exemplo, pois isso pode significar grandes fontes de retorno em um futuro à médio prazo.  

Lembre-se de sempre estar de olho nas cotações e de pesquisar sobre as previsões de mercado, combinado? A chave para entrar em ambientes que não dominamos é a pesquisa e a informação. 

Fonte: Portal Santarém e Ana Paula Sousa 

 

 

 




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil